PUBLICIDADE
Topo

UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão


UOL de Primeira

Maia tenta caducar MP das transmissões, mas apoio de clubes trava ideia

Rodrigo Maia, Presidente da Câmara dos Deputados - Adriano Machado
Rodrigo Maia, Presidente da Câmara dos Deputados Imagem: Adriano Machado
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

24/07/2020 04h00

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não tem intenção de colocar a Medida Provisória 984/20 - MP que dá direito aos mandantes de negociarem e decidirem sobre transmissões de futebol sem anuência do time visitante. Evitando se envolver no conflito entre o presidente Jair Bolsonaro e o Grupo Globo por conta da pauta, Maia sinalizou a interlocutores que deixaria o mesmo caducar - perder a validade após 120 dias da publicação.

O martelo só não está batido por conta do apoio de 16 clubes dos 20 da série A do Campeonato Brasileiro à MP — o curioso é que o clube do coração de Rodrigo Maia, o Botafogo, é um dos quatro que se posiciona contrário à medida. Desde o início, Maia e líderes do Congresso envolvidos diretamente com o tema, como Marcelo Aro (PP-MG), disseram que escutariam a vontade dos times. Mesmo sem qualquer previsão para colocar o texto na pauta da Câmara nas próximas semanas, Maia ainda avaliará o caso. As lideranças agora também querem ratificar a posição dos 20 times da série B, buscando ampliar o leque de opiniões. Na última semana, 19 (Ponte Preta foi exceção) se mostraram favoráveis à Medida. Nesta semana, no entanto, o entendimento apontava para a mudança de avaliação de alguns clubes. (Por Pedro Ivo Almeida e Thiago Fernandes)

Projeto que suspende Profut trava e preocupa clubes e CBF

Os deputados federais mais próximos a clubes e Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estão preocupados com a paralisação do Projeto de Lei 2125/2020 no Senado Federal. A proposta suspende o pagamento das parcelas devidas pelos clubes ao Profut durante a pandemia do novo coronavírus. O texto ainda não foi votado entre os senadores. Nos últimos dias, os dirigentes da entidade que rege o futebol no país contaram com o apoio de congressistas em uma tentativa de acelerar a apreciação do projeto em Brasília. Sem receita por causa da paralisação do esporte, que durou mais de quatro meses na maioria dos estados, os clubes têm dificuldades para manter o pagamento da dívida em dia. A situação deve ser mais célere a partir de agosto. (Por Pedro Ivo Almeida e Thiago Fernandes)

Polícia chegou a suspeito de pichações em Itaquera após postagem em redes

A Polícia Civil de São Paulo chegou até o palmeirense suspeito de invadir e praticar o ato de vandalismo na Arena Corinthians depois de ver postagens dele em redes sociais. O torcedor, que prestou depoimento na tarde da última quarta-feira (22), usou pelo menos duas para postar uma foto do estádio corintiano. Depois de ver a publicação, o setor de inteligência iniciou levantamentos até chegar ao suspeito. No momento de registrar o Boletim de Ocorrência, um representante do Corinthians também mostrou a foto postada por ele. Ontem (23), mais quatro pessoas suspeitas de participar do ato também foram ouvidas pela polícia. (Por Diego Salgado)

Clube dos Emirados Árabes consulta Sasha após ação contra o Santos

O Sharjah FC, dos Emirados Árabes Unidos, fez uma consulta por Eduardo Sasha no últimos dias. O clube demonstrou interesse pela contratação do atacante de 28 anos, que acionou a Justiça do Trabalho para deixar o Santos por causa de uma dívida de cerca de R$ 15 milhões. Ainda não há negociação para que o atleta vá ao futebol árabe, já que o estafe do atleta espera a decisão judicial para conversar sobre uma eventual transferência no mercado da bola. Eduardo Sasha desperta o interesse do Atlético-MG e de clubes de Arábia Saudita, Turquia e Japão. Ele esteve perto do futebol chinês antes da pandemia do novo coronavírus, mas a paralisação do futebol atrapalhou o negócio à época. (Por Eder Traskini e Thiago Fernandes)

Jogos "cegos" no Brasileiro: Fortaleza não vê retaliação da Turner

Sem ter nenhum jogo escolhido pela Turner para ser exibido nas dez primeiras rodadas do Brasileirão, o Fortaleza está preocupado com os jogos que podem ficar sem TV, como a partida contra o Athletico-PR na primeira rodada. Mas o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, não acredita que seja retaliação da programadora à postura crítica do clube contra a Turner, como levantado por torcedores nas redes sociais. "Eu não acredito em retaliação da Turner. Da mesma forma que a Globo tem direito de quase todos os times na TV aberta e alguns jogos não são transmitidos. Isso é algo normal, é questão de escolha, e a gente precisa respeitar isso. A minha preocupação é que esse primeiro jogo o nosso torcedor não vai poder assistir em nenhuma plataforma. Vai ser um jogo histórico, de abertura do Brasileirão, e não vai ter ninguém transmitindo", falou Marcelo para a De Primeira. (Por Gabriel Vaquer)

UOL de Primeira