PUBLICIDADE
Topo

UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão


Clubes consultam, e Globo avisa ser contra volta do mata-mata ao Brasileiro

Seleção do Brasileirão 2019 teve 9 do Flamengo, que bateu recordes. Nos pontos corridos - Divulgação/Flamengo
Seleção do Brasileirão 2019 teve 9 do Flamengo, que bateu recordes. Nos pontos corridos Imagem: Divulgação/Flamengo
Exclusivo para assinantes UOL

26/03/2020 04h00

Consultada por pelo menos quatro clubes que estão discutindo como fica o Brasileirão com a interrupção do futebol por causa da pandemia do Coronavírus, a Globo deixou claro que não vê como positiva um possível retorno do mata-mata no Campeonato Brasileiro. A questão financeira é o principal ponto apontado pela emissora carioca.

Segundo apurou a De Primeira, a Globo acredita que o mata-mata resulte na queda de arrecadação de pay-per-view e faturamento para os clubes em todos os sentidos, já que o retorno desse formato diminuiria o número de jogos para a grande maioria dos times. Se o formato de 2002 retornasse, por exemplo, com um turno e três mata-matas, seriam 24 datas contra 38 —uma redução de 176 partidas. Para a Globo, também seria ruim, já que o pacote publicitário do futebol para este ano já previa um campeonato de 38 rodadas.

No entanto, a Globo não tem o assunto como prioridade ainda, até pela questão da covid-19. A emissora tem sido consultada por federações e clubes, mas espera que as entidades resolvam a questão. Para alguns campeonatos estaduais, a Globo já garantiu que pagará cotas completas mesmo caso eles sejam cancelados, como Gaúcho, Mineiro e Baiano. (Por Gabriel Vaquer)

Nota da redação: o departamento de comunicação da Rede Globo entrou em contato com a coluna para passar sua posição sobre a informação de que seria contra o retorno do sistema de mata-mata no Brasileirão. Segue na íntegra:

Não é verdade que a Globo seja contra ou a favor de um novo formato para o Brasileirão neste ano, que está com o calendário comprometido por conta da pandemia. A definição deste formato compete a Confederações, federações e clubes, e ainda não temos posição fechada em relação a isso. Entendemos que, no momento, as prioridades são a saúde e a segurança de todos. Estamos respeitando as decisões das autoridades e das entidades organizadoras das competições, e as questões serão tratadas com calma e responsabilidade, após o fim da pandemia.

UOL de Primeira