PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Clubes consultam, e Globo avisa ser contra volta do mata-mata ao Brasileiro

Seleção do Brasileirão 2019 teve 9 do Flamengo, que bateu recordes. Nos pontos corridos - Divulgação/Flamengo
Seleção do Brasileirão 2019 teve 9 do Flamengo, que bateu recordes. Nos pontos corridos Imagem: Divulgação/Flamengo

26/03/2020 04h00

Consultada por pelo menos quatro clubes que estão discutindo como fica o Brasileirão com a interrupção do futebol por causa da pandemia do Coronavírus, a Globo deixou claro que não vê como positiva um possível retorno do mata-mata no Campeonato Brasileiro. A questão financeira é o principal ponto apontado pela emissora carioca.

Segundo apurou a De Primeira, a Globo acredita que o mata-mata resulte na queda de arrecadação de pay-per-view e faturamento para os clubes em todos os sentidos, já que o retorno desse formato diminuiria o número de jogos para a grande maioria dos times. Se o formato de 2002 retornasse, por exemplo, com um turno e três mata-matas, seriam 24 datas contra 38 —uma redução de 176 partidas. Para a Globo, também seria ruim, já que o pacote publicitário do futebol para este ano já previa um campeonato de 38 rodadas.

No entanto, a Globo não tem o assunto como prioridade ainda, até pela questão da covid-19. A emissora tem sido consultada por federações e clubes, mas espera que as entidades resolvam a questão. Para alguns campeonatos estaduais, a Globo já garantiu que pagará cotas completas mesmo caso eles sejam cancelados, como Gaúcho, Mineiro e Baiano. (Por Gabriel Vaquer)

Nota da redação: o departamento de comunicação da Rede Globo entrou em contato com a coluna para passar sua posição sobre a informação de que seria contra o retorno do sistema de mata-mata no Brasileirão. Segue na íntegra:

Não é verdade que a Globo seja contra ou a favor de um novo formato para o Brasileirão neste ano, que está com o calendário comprometido por conta da pandemia. A definição deste formato compete a Confederações, federações e clubes, e ainda não temos posição fechada em relação a isso. Entendemos que, no momento, as prioridades são a saúde e a segurança de todos. Estamos respeitando as decisões das autoridades e das entidades organizadoras das competições, e as questões serão tratadas com calma e responsabilidade, após o fim da pandemia.

Com cota paga, federação mineira diz que vai concluir estadual

A Federação Mineira de Futebol (FMF) pretende encerrar o Campeonato Mineiro 2020. Um dos motivos é o fato de a Globo ter desembolsado o valor dos direitos de transmissão para os 12 participantes, inclusive os times de menor expressão. O montante foi pago antes do início da competição regional. A informação foi confirmada por Leonardo Barbosa, diretor de competições da Federação Mineira, à De Primeira: "O valor já foi pago. Ele é pago no início da competição. No Mineiro, o pagamento sempre é feito no início da competição. Então como vai acabar o campeonato sem ser transmitido? Devolverão o dinheiro à Globo?", indagou. (Por Thiago Fernandes)

CBF prometeu que Brasileirão só começa após Estaduais, dizem mineiros

O diretor de competições da FMF também diz que seu campeonato será encerrado antes do início do Brasileirão. Leonardo Barbosa alega que houve uma promessa da CBF às federações de que os estaduais serão finalizados antes da primeira rodada do principal campeonato do país. "A Federação e os clubes não trabalham com a hipótese de encerramento precoce do campeonato. Há questões além do título, como rebaixamento, Copa do Brasil, Série D. A gente pode usar datas de Libertadores e Copa do Brasil para terminar o campeonato. Mas a CBF prometeu às federações que será possível terminar os estaduais antes que o Brasileiro comece." (Por Thiago Fernandes)

Após recusar corte salarial, jogadores aumentam cobrança sobre a CBF

Em meio a negociação com os clubes sobre um possível corte salarial, vem crescendo entre jogadores brasileiros um movimento de cobrança mais intensa à Confederação Brasileira de Futebol por auxílio contra a crise do coronavírus. Ontem (25) à noite, a Federação Nacional dos Atletas Profissionais recusou proposta de corte de 25% dos salários a partir de abril, e fez contraproposta pedindo que a CBF se coloque como garantidora das dívidas dos clubes relacionadas a salários e direitos de imagem. (Por Pedro Lopes)

Pressão visa especialmente ajuda a clubes de menor poder financeiro

É expectativa tanto dos clubes como os atletas que a CBF não aceite a medida. A partir daí, vem ganhando força na pauta dos jogadores a intenção de cobrar que entidade assuma parte do ônus financeiro causado pela pandemia — a ideia principal é cobrar ajuda no custeio de clubes de menor expressão, com menos poder financeiro, e os atletas que os defendem. A CBF faturou em 2019 R$ 957 milhões, com lucro registrado de R$ 190 milhões. (Por Pedro Lopes)

Confederação dos EUA parabeniza São Paulo por postura contra coronavírus

O São Paulo recebeu uma mensagem da Confederação norte-americana de futebol. Tom King, diretor administrativo da entidade, mandou os parabéns para o Tricolor paulista por ceder as suas para o combate à pandemia do coronavírus. Na Copa do Mundo de 2014, a seleção dos EUA usou as dependências do clube para se preparar para a competição. A partir deste momento, foi estabelecida uma relação. O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, liberou a utilização das instalações do clube. As competições nacionais estão paralisadas por causa do avanço do vírus. Ainda não há uma previsão de quando o departamento de futebol poderá retomar as suas atividades. (Por José Eduardo Martins)