PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Papéis picados polêmicos em Itaquera eram para festa de título da Copa BR

Papéis picados no gramado atrapalharam a visualização e atrasaram início do clássico entre Corinthians e Santos em Itaquera - Marcelo Zambrana/Agif
Papéis picados no gramado atrapalharam a visualização e atrasaram início do clássico entre Corinthians e Santos em Itaquera
Imagem: Marcelo Zambrana/Agif
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo, Rio de Janeiro e Paris (França)

12/03/2019 04h00

A grande quantidade de papéis picados lançada no gramado da Arena e que atrasou o início do clássico entre Corinthians e Santos em dez minutos tem uma explicação. Segundo apurou a De Primeira, os papéis haviam sido preparados para a comemoração do título da Copa do Brasil, diante do Cruzeiro, no ano passado. Como o feito não ocorreu, o clube paulista resolveu soltar agora devido ao bom retrospecto do Timão em clássicos recentes.

No entanto, profissionais do clube não contavam que a forte ventania (que mais tarde causaria estragos em São Paulo) desviasse os papéis diretamente para o campo, prejudicando a visibilidade das marcações e gerando tanta polêmica - sendo inclusive alvo de relato do árbitro na súmula do duelo. Houve todo um aparato para o lançamento. O Corinthians contratou uma equipe de rapel que desceu de uma altura de cerca de 70 metros. Tudo contou com a liberação dos bombeiros. (Por Samir Carvalho)

Corinthians entra em acordo com Federação Paulista

A "De Primeira" ainda apurou que a Federação Paulista de Futebol (FPF) já fez uma espécie de pré-acordo com o Corinthians para que os papéis picados agora só sejam lançados após os jogos, em comemorações de títulos. O clube paulista já aceitou o pedido da entidade. O clube paulista alega que não se pronunciará oficialmente sobre os "papéis picados". (Por Samir Carvalho)

T. Silva e Marquinhos se reúnem com organizada para acalmar ânimos no PSG

O Paris Saint-Germain viveu um domingo agitado com a presença de cerca de 500 torcedores conhecidos como "ultras", a principal facção organizada ligada ao clube, na porta do centro de treinamento, em protesto pela eliminação do time na Liga dos Campeões. Os ânimos só foram acalmados quando Marquinhos e Thiago Silva se prontificaram a dialogar com o grupo em nome do elenco. Os dois brasileiros são os capitães do time. Na conversa, destacaram que todo o elenco está comprometido para encerrar a temporada de maneira honrosa, nas competições dentro da França, mas externaram que o sentimento de tristeza estava complicado de ser administrado. Além disso, Thiago e Marquinhos asseguraram aos manifestantes que permanecerão no PSG na próxima temporada. (Por João Henrique Marques)

Flu não paga filial da Europa desde 2018 e dívida passa de R$ 1,4 mi

A crise que culmina com o atraso de salários do grupo de jogadores do Fluminense cruzou o oceano e chegou até a Eslováquia. Desde agosto do ano passado, o Samorin, filial do clube na Europa, não recebe os repasses acordados. O clube teria de enviar mensalmente 60 mil euros (cerca de R$ 259 mil) até dezembro, mas o valor caiu para 15 mil euros (64,7 mil) a partir de janeiro. Mesmo com a queda, o Flu não cumpriu acordo e a dívida já passa de R$ 1,4 milhão. A tendência é que a parceria seja rompida em junho, mas os eslovacos têm esperança de que o futuro presidente reveja a decisão já tomada por Pedro Abad. (Por Leo Burlá)

Botafogo descarta provocação ao Fla e define Diego Souza com camisa 7

Grande contratação para a temporada, Diego Souza foi apresentado com status de ídolo. O jogador tem personalidade forte e até sugeriu usar a camisa 87 em clara provocação ao rival Flamengo por conta do polêmico título do Brasileiro daquele ano, motivo de briga na justiça entre o Rubro-negro e o Sport - os pernambucanos são considerados os campeões de acordo com última decisão. A diretoria do Botafogo, no entanto, preferiu que o atacante use a tradicional camisa 7. Primeiro porque o número foi utilizado por grandes jogadores como Garrincha, Jairzinho e Túlio Maravilha. Além disso, o Alvinegro entendeu que era o momento de comemorar om os seus e não de provocar um rival. (Por Bernardo Gentile)

Fortaleza identifica gênero em carteirinha de sócias

O aumento da presença feminina nos estádios é uma realidade, já são mais de 3 mil sócias torcedoras tricolores, por exemplo. O Fortaleza buscou esse reconhecimento através da identificação de gênero nas carteirinhas. A partir de agora, novas associações, e também as antigas, terão acesso a cartões padronizados com novo layout e identificação de "sócia" para as torcedoras que contribuem mensalmente com o Tricolor. "Leoa Kids", "Leoa Fiel", "Leoa de Aço", "Leoa do Pici", "Leoa Proprietária" e "Conselheira" são as opções dos novos cartões. Além disso, durante todo o mês de março, as mulheres terão 50% de desconto na adesão e renovação - exceto Leoa Kids, Leoa do Interior e Conselheira. (Por Celso Paiva)