PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

CBF encaminha acordo com Fifa para liberar R$ 340 mi por legado da Copa

Presidente eleito da CBF, Rogério Caboclo (foto) finaliza articulação com a Fifa para receber verba por Copa-2014 - Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação
Presidente eleito da CBF, Rogério Caboclo (foto) finaliza articulação com a Fifa para receber verba por Copa-2014 Imagem: Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação

Do UOL, em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte

31/10/2018 04h00

A CBF está perto de, enfim, ter à disposição uma bolada de 92 milhões de dólares (R$ 340 milhões) referentes ao Fundo de Legado da Copa, promessa feita pela Fifa após o evento no Brasil em 2014. Desde o anúncio, a Confederação só teve acesso a 8% (R$ 29,6 milhões) do montante de 100 milhões de dólares previsto inicialmente, ficando o restante travado por conta dos escândalos envolvendo cartolas e a consequente prisão do ex-presidente da entidade José Maria Marin. Os cartolas creem que essa grana cairá na conta até dezembro deste ano.

A Fifa recuou e tentou fazer com que o dinheiro fosse liberado à medida que cada projeto prometido pelos brasileiros fosse tocado. Posteriormente, foi tentando que a CBF criasse uma empresa para gerir os projetos e os recursos. Após idas e vindas, os brasileiros conseguiram convencer a Fifa de que tudo deveria ser gerido por aqui, sob uma auditoria periódica da entidade doadora. As partes encaminharam o acerto e agora finalizam os estudos do novo contrato a ser assinado. Assim que o montante estiver à disposição, a divisão dos recursos já está definida: construção de centros de treinamentos nas capitais que não receberam a Copa (60%), futebol feminino (15%), futebol de base (15%), área médica (4%), CBF Social (4%) e área administrativa (2%). (Por Leo Burlá)

Palmeiras: Oposição tenta se descolar da imagem de Mustafá

Em campanha para as eleições do próximo mês, a oposição do Palmeiras tenta se afastar da “sombra” de Mustafá Contursi. Em vídeos nas redes sociais e em conversas nas alamedas, o candidato Genaro Marino e seus correligionários fazem questão de afirmar que o ex-presidente não faz parte dos planos de governo e exaltam que nenhum vice foi indicado por ele. É importante lembrar, no entanto, que a chapa da oposição só foi aprovada no Conselho por conta do apoio de Mustafá.

Usar a imagem negativa do ex-presidente entre os associados tem sido uma das táticas de Galiotte para enfraquecer o concorrente. Também neste caso, é importante lembrar que o atual mandatário só virou oposição a Mustafá por defender a Crefisa e seus proprietários, Leila Pereira e José Roberto Lamacchia. (Por Danilo Lavieri)

Cruzeiro: titulares receberam bicho de R$ 400 mil por título

O Cruzeiro pagou um bicho gordo para os atletas que venceram a Copa do Brasil 2018. Campeão do torneio pela sexta vez na história no último dia 17, o clube desembolsou uma bonificação de R$ 400 mil para cada atleta que foi titular nos dois jogos da decisão contra o Corinthians. O jogador que esteve na reserva em uma das partidas e foi titular em outra recebeu 75% do montante. A diretoria ainda pagou 50% para quem ficou no banco nos dois confrontos e 10% para quem não estava nem entre os relacionados. A classificação contra o Palmeiras, na semifinal, rendeu até R$ 200 mil aos atletas. A divisão do pagamento era semelhante à utilizada na final. O montante pelo título – o dobro do valor pago pela conquista de 2016 – foi depositado na conta dos atletas dois dias após a conquista na Arena Corinthians. (Por Enrico Bruno e Thiago Fernandes)

Vasco: Conselho não dará unanimidade a balanço de Eurico

O Conselho Fiscal do Vasco dará seu parecer nesta quarta-feira (30) sobre o balanço financeiro de 2017 apresentado pelo ex-presidente Eurico Miranda - paralelo ao divulgado em abril pelo atual mandatário, Alexandre Campello. Após reconhecer o documento para apreciação e com o presidente do poder já tendo divulgado uma nota oficial o considerando válido, a tendência é a de que a avaliação do Fiscal seja favorável, mas sem unanimidade, já que o integrante do órgão Otto de Carvalho é contrário aos números apresentados. Campello não reconhece o balanço de Miranda e diz que o dele é o válido, mas o presidente do conselho, Edmilson Valentim, discorda: ele diz que o fato de o mandatário elaborar um balanço financeiro de 2017 sem a participação e validação de Eurico “pode ser classificado como falsidade ideológica e descumprimento do estatuto do clube”. (Por Bruno Braz)

São Paulo: Raí e Ricardo Rocha cobram Jean após expulsão

O executivo de futebol do São Paulo, Raí, e o coordenador do clube, Ricardo Rocha, conversaram com Jean sobre a expulsão após a partida contra o Vitória, na última sexta-feira (26). Segundo apurou a De Primeira, os dirigentes consideraram exagerada a conduta do árbitro Leandro Pedro Vuaden, mas acharam que o arqueiro de 23 anos poderia ter sido mais controlado no Barradão. Apesar da cobrança, não houve multa ao jogador. Na sequência do encerramento do confronto, o goleiro foi em direção à torcida do São Paulo para celebrar o triunfo. Durante a festa, ele fez sinal como se "mandasse" no estádio e também cruzou os braços, em gesto que ficou famoso como símbolo da Independente, organizada do Tricolor paulista. Vale destacar que ele defendia o Bahia, arquirrival do Vitória, até o ano passado. (Por José Eduardo Martins)

Atlético-MG: elenco não tem previsão para receber atrasados

O Atlético-MG ainda não pagou o salário de setembro a jogadores e comissão técnica. E também não passou uma previsão de quando quitará o débito com o elenco. O atraso completa 24 dias nesta quarta-feira (31). Embora os salários dos jogadores estejam atrasados, os vencimentos dos demais funcionários do clube foram pagos na data correta. A diretoria do Galo trata a situação como assunto interno e evita se pronunciar. No entanto, trabalha para quitar a dívida com os jogadores. Há a possibilidade de o clube buscar recursos com parceiros para findar o débito. (Por Thiago Fernandes)