PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Presidente do PSG mantém conversas diárias e até vê jogo com pai de Neymar

Neymar pai e Al-Khelaifi em visita ao Instituto Neymar Jr., no primeiro semestre - Divulgação/Instituto Neymar Jr.
Neymar pai e Al-Khelaifi em visita ao Instituto Neymar Jr., no primeiro semestre Imagem: Divulgação/Instituto Neymar Jr.

Do UOL, em São Paulo

28/06/2018 04h00

Classificação e Jogos

O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, acompanhou a vitória do Brasil contra a Sérvia ao lado do pai de Neymar e de Daniel Alves. O grupo esteve reunido em um camarote do Spartak Stadium, em Moscou. A “parceria” na arquibancada foi só mais um episódio da relação entre os dois ao longo da Copa do Mundo.

O mandatário do PSG foi quem organizou o encontro e convidou os brasileiros. A reunião acontece em momento importante do planejamento do clube francês para a próxima temporada. Além do contato pessoal, Nasser tem tido conversas diárias com o pai de Neymar ao telefone para discutir os rumos do clube. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Mattos acerta permanência de Scarpa durante jogo do Brasil

A passagem da seleção brasileira por Moscou foi bem aproveitada por muitos agentes e dirigentes para realizarem encontros. Foi o caso, por exemplo, do diretor palmeirense Alexandre Mattos, que nas arquibancadas do Spartak Stadium, presente para Brasil x Sérvia, fechou detalhes para que Gustavo Scarpa seguisse no clube, apesar de oferta da Arábia.

Mattos selou a permanência de Scarpa em conversa com Bruno Paiva, representante do meia-atacante do Palmeiras que teve vitória na Justiça sobre o Fluminense. Ainda em Moscou, o diretor também havia batido o martelo, três dias antes, para que o atacante Keno fosse vendido a um clube do Egito, de propriedade árabe. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques e Ricardo Perrone)

Seleção: Com Coronel pressionado, Caboclo deve ir à Conmebol

Com o coronel Antonio Carlos Nunes queimado na Conmebol e sendo alvo de pedidos de demissão, a tendência é que Rogério Caboclo, seu sucessor na CBF a partir de abril de 2019, esteja cada vez mais presente nas reuniões da instituição internacional. Nunes ganha R$ 75 mil por mês para ser o representante do país e só ele tem poder para efetuar uma mudança no posto, como mostrou a De Primeira. Assim, não há alternativa para Caboclo a não ser acompanhar as reuniões da Conmebol mesmo antes de assumir a CBF. A possibilidade agrada a Conmebol, já que é vista como uma medida para tentar neutralizar o coronel. Caboclo, no entanto, mantém discurso de confiança em Nunes. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Seleção atrasa e provoca aplausos de repórteres gringos

Entre a saída do gramado e a passagem pela zona mista, os jogadores do Brasil demoraram mais de 90 minutos no vestiário e irritaram, principalmente, jornalistas estrangeiros após a vitória sobre a Sérvia. Um coro de palmas, recheado de ironia, foi puxado pelos gringos presentes ao Spartak Stadium. Na programação do Brasil, só foi possível voar de volta para Sochi às 3h da manhã no horário local (21h de Brasília), e assim os jogadores brasileiros seguiram mais tempo no vestiário e também jantaram. A demora na zona mista, em consequência, também causou princípio de confusão no centro de imprensa do estádio, que encerrou atividades às 2h e deixou pouco tempo disponível para quem ainda trabalhava no local. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques e Ricardo Perrone)