PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Tite, Marcelo e Thiago Silva cobram Neymar após excesso de reclamações

Neymar caiu dentro da área e juiz deu penalidade, mas decisão foi cancelada após o VAR - Reuters
Neymar caiu dentro da área e juiz deu penalidade, mas decisão foi cancelada após o VAR
Imagem: Reuters

Do UOL, em São Paulo

24/06/2018 04h00

Ainda que a seleção brasileira diga publicamente entender os desabafos de Neymar, especialmente o choro após a vitória contra a Costa Rica, lideranças do grupo não concordam com a irritação excessiva do craque em campo. O capitão Thiago Silva, o lateral Marcelo e até o técnico Tite cobraram calma do camisa 10 após as reclamações no duelo da última sexta-feira (22), em São Petersburgo.

Na beira do gramado, Tite levantou o tom por duas vezes para exigir uma pausa no comportamento irritadiço do atacante. Thiago Silva deu um “chamado” em Neymar ao fim do primeiro tempo. Marcelo, já no túnel que dá acesso ao vestiário, aumentou a cobrança sobre o atacante. Pendurado com cartão amarelo, o craque é alvo de preocupação na seleção por conta de seu histórico emocional de discussões e incômodo com a pressão. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Seleção: Para jantar com Bruna, Neymar deixa hotel pela 1ª vez

Neymar deixou o hotel da seleção brasileira, em Sochi, na Rússia, pela primeira vez desde que a concentração na Copa do Mundo foi iniciada dia 11 de junho. A folga concedida pela comissão técnica na noite de sábado foi aproveitada pelo camisa 10 com um jantar com a namorada Bruna Marquezine e a família.

O temor do entorno é que o jogador sofra grande assédio na cidade. Para isso, a estratégia usada foi a de comer em um restaurante durante o jogo entre Alemanha e Suécia, que foi disputado em Sochi. A família de Neymar e Bruna Marquezine estão hospedadas no mesmo hotel da seleção. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Brasileiro foragido foi “vigiado” em jogo da seleção até ser preso

A prisão de um suspeito de assaltar agência dos Correios no Espírito Santo, em 2017, no estádio em que o Brasil venceu a Costa Rica na última sexta, em São Petersburgo, lembrou o roteiro de filmes policiais. A ação envolvendo policiais russos e brasileiras enviados ao país do Mundial começou quando o serviço de imigração da Rússia avisou, pouco antes do jogo, que o homem estava na cidade. Câmeras do estádio registraram a entrada dele e, a partir daí, começou a busca pelo suspeito, que só foi encontrado no fim do jogo. Representantes da PF destacados para cuidar da segurança dos torcedores brasileiros na Copa do Mundo comemoraram o sucesso da ação em conjunto com os russos como inédito num evento desse porte. O suspeito detido não teve seu nome divulgado. Ele estava na lista de procurados da Interpol e usava passaporte italiano. Segundo a Reuters, o brasileiro se chama Rodrigo Denardi Vicentini. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Seleção: Douglas Costa “escondeu” lesão e jogou 14 min com dores

A comissão técnica da seleção brasileira não detectou o problema na coxa direita de Douglas Costa no momento em que o jogador sentiu o incômodo - aos 39 minutos do segundo tempo do jogo com a Costa Rica. Ainda que tenha levado a mão à região em imagem capturada pelas câmeras de TV, o atacante não avisou aos médicos da lesão e atuou com dores nos 14 minutos finais da partida. Machucado, ele ainda deu a assistência para o gol de Neymar. Douglas só avisou da situação ao corpo técnico após a partida, minimizando o ocorrido. Em posterior exame de imagem, no entanto, ficou detectado que a situação era mais grave que o esperado. O atleta ainda não tem uma previsão exata de retorno ao time e preocupa Tite para a sequência da Copa do Mundo. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)