PUBLICIDADE
Topo

Copa 2018

"Croácia paulistana" festeja classificação dramática para as quartas

Daniel Lisboa

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/07/2018 21h13

Classificação e Jogos

De muletas e camisa da seleção croata, um senhor de aspecto frágil está parado em frente a um portão na Mooca, Zona Leste de São Paulo. “Eu não consigo assistir, fico muito nervoso. Se for para os pênaltis, então. Espero que isso não aconteça”, ele explica.

Mas aconteceu. A partida das oitavas de final entre a seleção do simpático e aflito senhor, e a Dinamarca, terminou 1 a 1. Atrás dele, ao final de um corredor, estava a sede da Sociedade Amigos da Dalmácia (SADA), que desde os anos 1950 é referência para imigrantes croatas em São Paulo.

Sim, existe até mesmo uma comunidade croata na capital paulista. E ela tem se reunido para assistir aos jogos da Copa do Mundo. Na tarde deste domingo, cerca de 80 pessoas acompanharam o sofrimento de Modric e sua trupe em um telão instalado no grande salão do local.

A grande maioria dos presentes era de descendentes de croatas, mas o UOL Esporte encontrou também croatas “raiz”. Há quem diga que eles são os europeus mais latinos que existem, e, se isso é uma verdade dentro de campo, podemos dizer algo semelhante em relação aos torcedores.

Como os brasileiros, eles xingam, gritam, goram, cornetam. Não há momento de desinteresse enquanto a bola rola. Uma senhora reclama que seu sanduíche está demorando para sair e o jogo já começou.

Ao final, a classificação para enfrentar a Rússia nas quartas de final é comemorada com uma dancinha típica ao estilo ciranda. O senhor que queria tudo, menos pênaltis, esta lá, feliz.