PUBLICIDADE
Topo

Copa 2018

Defensor de treino aberto, Tite fecha seleção perto da Copa por privacidade

Vista geral do Centro de Treinamento do Tottenham, palco dos treinos da seleção brasileira em Londres - Lucas Figueiredo/CBF
Vista geral do Centro de Treinamento do Tottenham, palco dos treinos da seleção brasileira em Londres Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Londres (Inglaterra)

31/05/2018 04h00

Classificação e Jogos

Tite comandará nesta quinta-feira (31), em Londres, seu sétimo treino no período de preparação pré-Copa da seleção brasileira. Em todos eles, uma semelhança: muito pouco do que o treinador pensa para o time pôde ser observado. Em uma escala maior do que em outras convocações, o comandante vem optando por atividades cada vez mais fechadas.

Confira a tabela completa e o calendário de jogos
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
DOC: a Rússia Gay que não pode sair do armário

Se o elogiado trabalho no Corinthians foi marcado pela abertura quase que total dos treinos, o cenário na seleção mudou com o passar do tempo. E ganhou uma regra para o período de Copa do Mundo: ao menos uma atividade completamente fechada por semana. Foi assim no último sábado (26), na Granja Comary, e será também nesta sexta (1), no CT do Tottenham.

Ao tomar tal decisão, a comissão técnica sustentou que a equipe precisa de privacidade, evitando uma exposição acima do normal às vésperas do Mundial da Rússia.

A opção de fechar parte dos treinos já vinha sendo adotada em amistosos e jogos das Eliminatórias, mas o cerco aumentou nos últimos dias.

Se antes era possível acompanhar trabalhos táticos e orientações aos jogadores, agora o aquecimento físico e a tradicional roda de bobinho se tornaram as principais imagens captadas por câmeras e repórteres. Poucos trabalhos táticos foram liberados.

Tite não pretende esconder o time que entrará em campo às 11h (de Brasília) deste domingo (3), contra a Croácia, em Liverpool, mas quer evitar detalhes, preservar suas variações.

“Para mim é melhor. Estou há alguns anos na Europa, a gente tem mais tranquilidade para trabalhar. Os treinos são diferentes dos jogos e a gente tenta trabalhar para surpreender os adversários. E normalmente a gente vai errar para acertar no jogo”, comentou o lateral Danilo.

Sem especulação

Tite conversa com jogadores da seleção brasileira durante atividade em Londres - Pedro Martins / MoWA Press - Pedro Martins / MoWA Press
Imagem: Pedro Martins / MoWA Press

Fechando os treinos, Tite evita uma especulação ainda maior sobre o assunto titularidade às vésperas da Copa. Nas recentes entrevistas dos jogadores, é possível notar a preocupação interna em rechaçar a ideia de que há apenas 11 titulares.

“Nem sempre o time que começa é o mesmo que termina. Todos são importantes”, frisou Thiago Silva. “Não me lembro de o time que começa ser o mesmo a terminar uma Copa”, completou Renato Augusto.

Antes mesmo do período de treinos, a comissão técnica já havia mostrado a preocupação sobre o debate de nomes. O coordenador Edu Gaspar admitiu que não quis revelar a lista de 12 suplentes – além dos 23 convocados – para rechaçar especulações.

Copa 2018