Topo

Mauricio Stycer


Audiência de Brasil e Bélgica foi a segunda pior da seleção na Copa

Kompany comemora gol da Bélgica contra o Brasil - REUTERS/Toru Hanai
Kompany comemora gol da Bélgica contra o Brasil Imagem: REUTERS/Toru Hanai
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Colunista do UOL

09/07/2018 14h29

A eliminação do Brasil da Copa, na última sexta-feira, registrou média de 55 pontos no Ibope, em São Paulo, com 82% dos aparelhos ligados na Globo. No Rio, a audiência foi de 51 pontos, com 81% de “share”.

Em matéria de audiência, em São Paulo, o resultado coloca Brasil e Bélgica em quarto lugar, à frente apenas da estreia da seleção, contra a Suíça, que registrou 51 pontos no Ibope.

A partida que rendeu maior Ibope à Globo foi a disputa de oitavas de final, contra o México, com 58,7 pontos. Em segundo lugar, ficou a segunda partida da primeira fase, contra Costa Rica , com 58,1 pontos. E, em terceiro, o jogo contra Sérvia, terceiro da primeira fase, com 56,9 pontos.

Nas cinco partidas do Brasil, a Globo alcançou participação acima de 80%. Como nada indica que o interesse pela Copa tenha diminuído depois da vitória contra o México, uma possível explicação para o menor índice de audiência da partida com a Bélgica seria a redução do número de aparelhos ligados. Ou seja, mais pessoas podem ter reunido em grupos para ver os jogos. Outra possibilidade é que muitos espectadores tenham desligado a televisão depois que a Bélgica marcou 2 a 0, placa do primeiro tempo.

Mais Mauricio Stycer