Rodrigo Mattos

Rodrigo Mattos

Siga nas redes
ReportagemEsporte

CBF recusa ofertas de EUA e árabes e cogita Supercopa até em São Paulo

A diretoria da CBF voltou a recusar propostas dos EUA e da Arábia Saudita para realizar o jogo da Supercopa de 2024 fora do país. Assim, o confronto entre São Paulo e Palmeiras será no Brasil. O local ainda é estudado, mas a confederação não descarta pelo menos tentar realizar na capital paulista apesar dos problemas.

Durante a Copa-2022, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, tinha revelado que tanto árabes quanto norte-americanos fizeram ofertas para sediar o jogo da Supercopa. As propostas foram rejeitadas inclusive após protestos do Palmeiras, que enfrentou o Flamengo.

Agora, a própria confederação decidiu rechaçar as ofertas por conta do aperto do calendário. Na visão da CBF, seria sacrificante para os times uma viagem ao exterior em meio ao início dos Estaduais e de uma temporada longa. A Supercopa está marcada para o início de fevereiro.

Ao definir o jogo no Brasil, a confederação terá um desafio. Teoricamente, faria mais sentido realizar a partida na própria capital paulista, mas há um grande obstáculo legal.

Uma determinação do Ministério Público, acatada pela federação legal, impede clássicos na cidade com torcida visitante. Isso impediria que São Paulo e Palmeiras pudessem ter suas torcidas dividindo o estádio.

Outra questão é onde seria o jogo. Afinal, os dois estádios disponíveis, Morumbi e Allianz Parque, favoreceriam um dos times por atuar na sua casa. E é difícil a cessão da Neoquímica Arena.

Apesar desses obstáculos, a CBF não descartou completamente o jogo na capital paulista. Antes da rodada final do Brasileiro, com o Palmeiras já praticamente definido como campeão, a diretoria da entidade entendia que valia ao menos testar a viabilidade do jogo em São Paulo.

Se não for possível, poderia ser deslocado para outra cidade. Brasília tem sido a capital que recebe jogos da Supercopa.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes