PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Aguerrido e técnico. O que a diretoria espera do SPFC na Libertadores

Hernán Crespo, técnico do São Paulo - Rubens Chiri / saopaulofc.net
Hernán Crespo, técnico do São Paulo Imagem: Rubens Chiri / saopaulofc.net
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

20/04/2021 04h00

Nesta terça (20), às 21h30, o São Paulo estreia na Libertadores contra o Sporting Cristal colocando à prova a reformulação no estilo de jogo do time a partir da contratação do técnico Hernán Crespo.

E o que a diretoria espera que a equipe apresente na competição que vale o título pelo qual sua torcida é obcecada?

Uma das principais expectativas é por um time aguerrido, que brigue sempre pela bola e não desista nunca de buscar o resultado. Comprometimento é uma das palavras mais usadas no clube para definir o que é desejado da equipe, não só no torneio continental, mas na temporada inteira.

No entanto, a ideia é que essa capacidade de brigar venha com um futebol vertical e bem jogado. Os dirigentes esperam ver o São Paulo propondo o jogo contra o Sporting Cristal, mesmo atuando fora de casa, em Lima, no Peru.

Essa união de garra e técnica é um dos fatores que mais pesaram para a contratação de Crespo após a demissão de Fernando Diniz.

Na ocasião, a direção tricolor avaliou que o argentino conseguia unir habilidade e garra em seus tempos de jogador e que transmite essa combinação para seus times.

Os dirigentes evitam comparar o São Paulo atual com o de Fernando Diniz, eliminado na primeira fase da Libertadores de 2020.

Porém, há quem fale que o perfil da equipe mudou em relação ao time comandado por Diniz principalmente por ter mais comprometimento e entrega.

Se inscreva no canal do Ricardo Perrone no YouTube .

Blog do Perrone