Topo

Coluna

Oscar Roberto Godói


Jogadores e clube deveriam saber que são reféns do árbitro por 90 minutos

Árbitro Raphael Claus em ação durante clássico Corinthians x Palmeiras - Ale Cabral/AGIF
Árbitro Raphael Claus em ação durante clássico Corinthians x Palmeiras Imagem: Ale Cabral/AGIF
Oscar Roberto Godói

Jornalista e ex-árbitro, esteve sob a chancela da Fifa de 1993 a 2000.

12/04/2019 14h29

Somos reféns do que falamos. Será que o jogador corintiano Clayson e o funcionário do clube que gravou o vídeo com áudio não pensaram nisso? Claro que não. Como que a direção do Corinthians permitiu a divulgação sem avaliar as consequências? Teria sido intencional tornar público o desabafo contra o árbitro Raphael Claus?

Até onde a frase "chupa, Claus" pode ser considerada uma ofensa pelo Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol? Independentemente do que possa ocorrer nos bastidores do futebol, jogador e clube deveriam pensar que são e sempre serão reféns dos árbitros por 90 minutos.

Então, é aconselhável que você tenha sempre um bom relacionamento com quem estará interpretando, julgando e decidindo suas atitudes antes, durante e após um jogo de futebol. Ser cordial e respeitoso não faz mal a ninguém. Todos somos humanos e, felizmente ou não, temos sentimentos bons e ruins.

O Corinthians está na decisão do Paulistão-19 e o árbitro Raphael Claus, por sorteio, está escalado para apitar o jogo final na Arena em Itaquera. Como as regras são interpretativas, mesmo com o VAR, o árbitro pode ser mais ou menos rigoroso com o "inimigo". Vingança é um mal da humanidade. Tomara que Claus não seja rancoroso.

A Federação Paulista definiu os nomes para apitar os dois jogos e só sorteou a ordem. Os dois árbitros integrantes do quadro da Fifa foram os preferidos. Luiz Flávio de Oliveira apita no Morumbi, auxiliado por Marcelo Van Gasse (Fifa) e Emerson Carvalho (ex-Fifa). Trio muito experiente e capacitado para realizar uma excelente arbitragem.

Estão dando retaguarda para o trio Lucas Bellote como quarto árbitro, Márcio Gois como árbitro do VAR, Daniel Ziolli e Rodrigo Guarizo como auxiliares no VAR. Marcelino Brito Neto será avaliador de vídeo e Carlos Pianosqui o avaliador de campo.

Resta desejar que Luiz Flávio apite o clássico com a mesma competência e felicidade que tem nas decisões que faz em campeonatos de outros estados. Precisa conquistar em São Paulo o mesmo respeito e admiração que desperta fora daqui.

Pessoalmente, acho que o primeiro jogo é sempre mais fácil de ser apitado do que o segundo e definitivo. Vamos aguardar e torcer para que tudo corra bem e que jogadores e comissões técnicas colaborem.

Mais Oscar Roberto Godói