Topo

Coluna

Oscar Roberto Godói


Árbitro marcou pênalti que não existiu a favor do Palmeiras

Dudu, jogador do Palmeiras, enfrenta o Botafogo-SP - Marcello Zambrana/AGIF
Dudu, jogador do Palmeiras, enfrenta o Botafogo-SP Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Oscar Roberto Godói

Jornalista e ex-árbitro, esteve sob a chancela da Fifa de 1993 a 2000.

25/01/2019 13h38

Duas rodadas dos campeonatos de futebol profissional da Federação Paulista já foram suficientes para sabermos que nada mudou para melhor na arbitragem. Por pressão, justificável, do Palmeiras, substituíram o Dionísio Domingos por Ednilson Corona na Comissão de Arbitragem e oficializaram a intromissão de "estranhos", criando os cargos de Analista de Campo (um bico a mais, remunerado, para os integrantes do comando e formação dos árbitros) e Assessor (ex-árbitros ou ex-assistentes).

Ah, não podemos esquecer que aumentou a quantidade de publicidade paga nas camisas da arbitragem! Tudo isso poderia contribuir para que os árbitros mostrassem uma evolução técnica e disciplinar, mas não é o que vimos. Faltam referências? Talvez. Os atuais grandes árbitros do futebol brasileiro são comuns, não fazem falta alguma. Tanto é que o brasileiro com maior prestígio internacional é o Wilton Sampaio.

Mas, voltando para nossa realidade estadual, é preocupante o que vimos no jogo Palmeiras 1 x Botafogo 0. O árbitro Flávio Rodrigues de Souza, que classifico como bom e que fez um excelente Paulistão em 2018, interpretou a regra de uma maneira para o clube de Ribeirão Preto e de outra para o considerado grande. 

Marcou pênalti inexistente para o Palmeiras e deixou de marcar outros, em lances semelhantes, para o Botafogo. Para felicidade da arbitragem o pênalti foi desperdiçado na execução de Bruno Henrique.

Sabemos que o Palmeiras não quer e nem precisa de ajuda da arbitragem. Todos gostaríamos de ver em campo árbitros com personalidade, competência e independência para enfrentar situações difíceis com decisões corretas para ambos adversários. Mas, como quem manda continua sendo o mesmo, a tendência é piorar, principalmente nos clássicos. Porém, os clubes gostam, um se rebelou e os demais se omitiram. 

Veja o pênalti perdido por Bruno Henrique:

Mais Oscar Roberto Godói