PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Críticas ao trabalho de Belmonte são exageradas e injustas

Carlos Belmonte, diretor do São Paulo - Reprodução / Youtube
Carlos Belmonte, diretor do São Paulo Imagem: Reprodução / Youtube
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

20/11/2021 04h00

O São Paulo está na perto da zona de rebaixamento.

O trabalho de Carlos Belmonte é bom.

Se é bom, por que o time está na atual situação?

Sim, uma questão difícil de responder. Tenho pensado nisso. Vejo dois problemas graves: o excesso de contusões, principalmente musculares, a demora na recuperação e o fato de os jogadores não terem tido um período de descanso antes do início do Brasileiro.

Ele pode ter alguma culpa aí? Talvez, mas, a meu ver, o trabalho é bom.

Parte das críticas têm a ver com ele ser um conselheiro e não um homem de mercado.

Uma panaceia. Ser de mercado é certeza de um trabalho bom? Ora, Pássaro foi cantar em outra freguesia e desafinou.

Ser conselheiro não é certeza de trabalho ruim. E nem bom. A análise precisa ser feita sem preconceito. E o São Paulo tem Rui Costa, homem de mercado.

Vamos à análise, então: o primeiro ato foi abrir mão de Juanfran, que recebia em dólar. Medida tomada por Pássaro, homem de mercado. Raí também, mas não sei se ele continuará na profissão.

Com o dinheiro de Juanfran, foi possível pagar Miranda e Eder.

Miranda é uma das três contratações inquestionáveis. As outras duas são Rigoni e Calleri. Ah, Calleri não está bem. Sim, mas era uma contratação que todos queriam. Tem tudo para dar certo. Ao contrário de Pato, por exemplo. Se o São Paulo contratar Pato novamente, será um erro, mesmo se ele jogar bem. Com Calleri é o contrário. Mesmo se jogar mal, terá sido um acerto.

Um exemplo: foi errado contratar Hernanes, depois de tudo que ele fez em 2017? Não dá para criticar, a não ser por alguma questão salarial.

Voltemos a Eder. Tinha currículo, recomendação de Miranda e fez bons jogos no início. Depois, as contusões atrapalharam.

Willian?

Foi contratado para mudar a cara do time, que precisava um jogador mais sanguíneo e de força física. Como Éderson, que Rogério teria pedido agora. Willian se contundiu e praticamente não jogou.

Gabriel Neves está agradando. E Belmonte negociou bem. Foi duro e não pagou o que o Nacional queria.

Benítez?

Eu gosto. Quando entra, joga bem. E por que joga tão pouco? Já era assim no Vasco. Jogador veio emprestado, custou pouco. A decisão a ser tomada no final do ano é que precisa ser julgada, se boa ou ruim. Fica ou não fica?

Caso Daniel Alves: o grande erro foi a contratação baseada em um plano de marketing que nunca funcionou. A dívida ficou enorme e a solução encontrada foi a possível. Dar um calote seria muito ruim. O caso seria judicializado.

Ah, mas gastou dinheiro na contratação de Orejuela. Dinheiro que poderia ser gasto para pagar a dívida de Daniel. Aí, ficaria sem dívida, sem Daniel e sem Orejuela.

Considero a contratação ruim.

Rojas jogou muito no Paulista. Pediu um grande aumento e acertou por bem menos. Agora, vai sair.

Belmonte acertou também na renovação do contrato de jogadores da base, como Rodrigo Nestor, Wellington e Gabriel Sara. Está negociando com Jean, Luizão e Vitinho. Lucas Sena foi impossível.

As críticas são até por coisas inevitáveis. Se vier oferta boa por Nestor, Liziero, Sara e Gomes, todos serão vendidos.

O clube está quebrado e não consegue manter ninguém. Faz tempo. Não há outra solução. Até o Flamengo vende.

Vai vender um garoto para trazer um velho?

Sim. E as duas coisas estão ligadas pela bancarrota do clube.

É obrigado a vender porque não tem dinheiro.

E só compra veterano porque não tem dinheiro.

Agora, a negociação é com Arboleda. Complicada, precisa de tempo.

Outra crítica descabida: ah, contrata o Willian e não dá chance para o Pablo Maia (coloque aqui o nome que quiser). Ora, quem escala o time é o treinador. Se Rogério Ceni quiser escalar o Pedrinho em vez do Vitor Bueno, o problema (no caso, solução) é dele. Não é do diretor

Compare a gestão do primeiro ano de Belmonte com a de Pássaro. Quem trouxe Pablo, com seus gatilhos? Pato? Hernanes com salário alto? Daniel Alves? Tchê Tchê?

A grande questão que Belmonte precisa desvendar é: por quê o time jogou tão mal?

E a torcida pode se acostumar porque jogadores jovens serão vendidos e as contratações serão do nível Benevenuto, Éderson, Tinga, Nino Paraíba....

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL