PUBLICIDADE
Topo

Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Abel nada entende de jornalismo

Abel Ferreira comanda o Palmeiras diante do Inter - Ettore Chiereguini/AGIF
Abel Ferreira comanda o Palmeiras diante do Inter Imagem: Ettore Chiereguini/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

17/10/2021 19h52Atualizada em 17/10/2021 20h27

Leiam esta declaração de Abel Ferreira após a vitória sobre o Inter:

"Quando o público apoia, quando a imprensa apoia, quando estamos todos na mesma linha, é a mesma coisa que ter um carro que anda muito e que ainda tem o nitro".

Uma visão totalmente errada do papel da imprensa e do jornalismo.

O apoio da imprensa não pode ser parte do sucesso de um time. Não pode ser um fator para que o trabalho aparecia. Simplesmente porque o papel da imprensa não é apoiar ninguém.

A imprensa pode elogiar, pode criticar, pode falar bem ou mal. Não pode apoiar.

A não ser que Abel esteja se referindo a blogues especializados em um clube. Aí, pode ser. Acha que está ruim e, mesmo assim, apoia. É imprensa torcedora, mais torcedora que imprensa

Abel já pediu parabéns após uma vitória. Já ameaçou dar o nome de jornalistas que considera irresponsáveis. Direito dele. Ruim é ameaçar e não falar, o que coloca todos sob suspeita. E sob a mira e a ira de torcedores violentos.

Abel pode pedir apoio de torcedor, dirigentes, presidente ou de Nossa Senhora de Fátima. Não pode sonhar com apoio da imprensa para que o time melhore.

Se fizer isso, estará assinando confissão de não entender nada sobre a função de jornalistas e do jornalismo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL