PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menon: Crespo não pode ficar sentado no título do Paulista

Hernán Crespo durante partida do São Paulo contra o Juventude pelo Brasileirão - Rubens Chiri/saopaulofc.net
Hernán Crespo durante partida do São Paulo contra o Juventude pelo Brasileirão Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

16/09/2021 04h07

Hernán Crespo será sempre lembrado pelo torcedor do São Paulo. Conseguiu um título, algo que o clube não tinha desde 2012. Não pode ficar nisso.

Cadê o time que marcava no campo do adversário, ganhava divididas e criava oportunidades constantes?

Cadê o time que fez um jogo reativo de muita qualidade contra o Racing na Argentina? Muito competitivo, pronto para sair e matar o jogo.

Cadê o time animicamente forte, que se impunha em campo? Que venceu o Palmeiras, bem mais forte, na final?

Cadê a defesa segura, com alas que chegavam ao fundo?

Crespo precisa voltar ao início de seu trabalho. Tentar fazer algo semelhante. Ou então, mostrar que pode criar novos conceitos. Pode ser criativo.

O time precisa, por exemplo, de jogadas pelo meio. Não pode ficar refém de aproximação apenas pelos lados. Precisa de paredes, como dizem os argentinos. Tabelas pelo meio.

Precisa de muita coisa.

Calleri pode ser, talvez, quem sabe, uma solução para o ataque, com Rigoni e Luciano. Sara, se voltar no tempo, pode dar força e pegada no meio. Luan também. Orejuela tem salvação?

Se vira nos 30, Crespo.

É o que tem para hoje.

Você precisa ser (ter) a solução.

Não pode ser parte do problema.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon