PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Zé Roberto Guimarães é o maior nome do esporte olímpico do Brasil

Zé Roberto Guimarães explodiu com classificação do Brasil para a Rússia - GettyImages
Zé Roberto Guimarães explodiu com classificação do Brasil para a Rússia Imagem: GettyImages
Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

05/08/2021 14h00Atualizada em 05/08/2021 15h35

O vôlei feminino terá sua final no domingo. No sábado, a disputa pelo bronze. Os jogos podem marcar algumas despedidas.

Pode ser o adeus do:

melhor técnico de vôlei feminino do Brasil.

melhor técnico de vôlei feminino do mundo.

primeiro técnico do mundo a ganhar com feminino e masculino.

primeiro campeão olímpico com o vôlei masculino do Brasil em 92.

único treinador tricampeão olímpico do mundo.

Todas essas pessoas são uma só: José Roberto Guimarães, mas pode chamar de Zé Roberto. Ou Zé.

Um treinador exigente, mas sem chiliques. Domina o grupo e exige muito dos fundamentos. Com muita paciência e treinos, transformou Fofão em uma levantadora de altíssimo nível.

Não tem medo de lançar novatas ou afastar veteranas.

E soube tratar com dureza e dignidade o golpe que recebeu em 2004, na Olimpíada de Atenas, quando Fernanda Venturini, sua jogadora, buscava orientações com Bernardinho, técnico da seleção masculina e coincidentemente, seu namorado na época. Ela levaria DVDs com palestras de Bernardinho para as colegas.

Zé Roberto não é desse tipo.

Além de ser tricampeão olímpico, ele tem e preserva o chamado espírito olímpico.

Fará muita falta.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon