PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Enzo Perez sofre menos gols que o Flamengo de Ceni

Conteúdo exclusivo para assinantes
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

19/05/2021 23h27Atualizada em 19/05/2021 23h41

A História foi feita. O River, dizimado por surto de Covid, que o impediu de escalar um goleiro, venceu o Santa Fé por 2 x 1. Chegou a nove pontos e está na liderança do Grupo. Recebe o Fluminense, que tem oito pontos.

No gol, Enzo Perez, um bom jogador de meio campo. Com problemas musculares.

Mesmo assim, Enzo sofreu apenas um gol.

Gabriel Batista, do Flamengo, levou dois no empate contra a LDU, que garantiu a classificação para a segunda fase.

O Flamengo sofreu nove gols em cinco jogos da Libertadores. Média de 1,8 por jogo. Os números mostram que, para vencer um jogo, o time precisa fazer três gols. Difícil, mesmo para quem tem Gabigol, Pedro, Bruno Henrique etc.

Em cinco jogos na Libertadores, o Flamengo fez 14 gols. Média de 2,8 por jogo. Os tais três gols necessários para uma vitória.

Só venceu quando marcou três gols - 3 x 2 contra o Velez e LDU - ou mais, no 4 x 1 contra o Union la Calera. Quando marcou duas vezes, apenas empatou.

Até quando o ataque vai garantir, Ceni?

Menon