PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Piquet, Pelé, Senna... tudo a ver. Para eles, o Rei Bolsonaro está vestido

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

08/05/2021 13h03Atualizada em 08/05/2021 13h03

Nelson Piquet, tricampeão mundial de automobilismo e um dos maiores de todos os tempos, tem assumido o papel de papagaio de pirata do presidente Bolsonaro. Está sempre ao seu lado.

Como nos antigos programas de humor, seu papel se resume a um bordão conhecido. Professor Raimundo dizia "e o salário, ó...", Dona Bela dizia "você só pensa naquilo" e Piquet fala" Globo lixo" para alucinados eleitores do presidente.

É um baque ver e ouvir um gênio das pistas apoiando um negacionista da Ciência. As mágoas com a Globo são antigas, conhecidas e, de certa forma, justas. Piquet não esquece que a imprensa dava mais importância a Chico Serra nós tempos de F-3, vai esquecer que a Globo era mais sennista que piquetista?

A questão deve ser vista por outro lado. Nelson Piquet, tudo indica, é um milionário. Por que não seria fã de Bolsonaro. Outros, com mais poder de decisão, players no mercado, também são.

O triste é saber que até os ascensorista da Faria Lima também são de direita. Também defendem a precariedade nas relações trabalhistas como meio de alavancar a economia brasileira. Mesmo com tantas promessas não cumpridas.

Pelé também é esportista. Também é milionário. Também é Bolsonaro.

Estão aproveitando a opção ideológica de Piquet para dizer que ele é pior que Senna. Ora, Senna foi janista, colorido e malufista. Tudo indica que sua divergência com Piquet seria em relação à Globo e não a Jair Bolsonaro.

E, para deixar claro, ser milionário deve ser uma maravilha. Nada contra. O triste é ver Piquet ultrapassando Hélio Negão rumo ao posto de melhor amigo do presidente, com a missão de gritar bem alto que o Rei está vestido, quando todos já viram que não.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon