PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Menon


Menon

Timão, com cara de Ramiro e Davó, derruba o Inter sem inspiração

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

31/10/2020 21h13

Parecia final de Copa do Mundo. O Corinthians, que foi goleado na posse de bola (35% x 65%), marcou muito, foi aguerrido e venceu o Inter, até então líder do campeonato.

O único gol do jogo foi de Davó, um desses heróis improváveis do futebol e do Corinthians

Improvável?

Sim, considerando seu currículo, mas não a tática de Mancini. Não foi uma escalação aleatória. O Corinthians apostou na velocidade e no contra-ataque. E o gol saiu como o planejado.

O Corinthians foi ainda prejudicado, a meu ver, pela arbitragem. Lomba fez pênalti em Ramiro e, na sequência, Luan marcou. O juiz deu falta de Ramiro.

O melhor do Corinthians foi Ramiro. Muita intensidade na marcação, muitos gritos com companheiros e rivais. Entrega total.

Não gostei do Inter. Faltou criatividade. O time depende de uma transição baseada em Patric e Edenílson. Força, velocidade, mas pouca habilidade. Dalessandro entrou para melhorar o quesito e não conseguiu.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Menon