PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras, Athletico e Rony foram espertos e se deram mal

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

13/07/2020 13h28

Rony terá de pagar 6 milhões ao Albirex e está suspenso por 4 meses.

O Athletico fica proibido por duas janelas

de fazer novos registros de jogadores. E talvez tenha de ajudar Rony no pagamento. Podemos ter uma discussão jurídica entre eles.

O Palmeiras fica proibido de escalar por quatro meses um jogador que custou R$ 28 milhões.

Os três espertalhões se deram mal.

Tudo começou em 2017, quando o Cruzeiro emprestou Rony ao Albirex. Em seguida, o clube japonês disse que havia contratado Rony por três anos. O jogador discordou e voltou ao Brasil.

O Albirex recorreu à Fifa e, enquanto não havia um julgamento, todo clube interessado nele era avisado sobre a pendência.

Ele treinou no Botafogo e não ficou. Anderson de Barros era o responsável pelo futebol. O mesmo que agora está no Palmeiras. Agora, pode? Difícil entender.

O Corinthians se interessou pelo jogador e desistiu ao saber da pendência.

Pois é.

A esperteza, quando é demais, engole o dono.

Menon