PUBLICIDADE
Topo

Dudu, como todos, merece uma um julgamento justo

Câmera de segurança mostra confusão entre Dudu e sua esposa - Reprodução
Câmera de segurança mostra confusão entre Dudu e sua esposa Imagem: Reprodução
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

01/07/2020 04h02

As mídias sociais gritam. Exigem que o jornalista ataque Dudu. Dizem que está evidente, em um vídeo, que ele bateu na mulher. Ah, se ele fosse do Flamengo, ah se ele fosse do Corinthians...

As mídias sociais urram. Exigem que o jornalista defenda Dudu. Dizem que está evidente, em um vídeo, que ele foi espancado pela mulher. Ah, se ele fosse do Flamengo, ah se ele fosse do Corinthians...

O mesmo vídeo.

As mídias sociais não estão interessadas na justiça ou na chaga social que é a agressão das mulheres. Se Dudu estivesse no Corinthians ou no Flamengo, os seus atuais acusadores jurariam com a mão direita na Bíblia que ele é inocente. E os palmeirenses invocariam a Lei Maria da Penha para condená-lo.

O que eu penso?

1) O vídeo não comprova agressão.

2) Em 2013, Dudu foi preso por haver agredido a mesma Malu Ohana. E a mãe dela. Pagou fiança de $ 12 mil e foi condenado a serviços comunitários.

3) Detestaria que Dudu tivesse algum tipo de relacionamento amoroso ou de amizade com alguma mulher do meu círculo familiar.

Só isso. Vamos esperar o julgamento.

Apesar do antecedente, não vou tratá-lo com o desprezo que merece o goleiro Jean. Ou Robinho, condenado por estupro. Ou o goleiro Bruno, um cúmplice por assassinato.

É preciso ter muito cuidado. Vamos relembrar um caso ocorrido em 2016.

O time masculino de vôlei de Cuba foi jogar na Finlândia, pela Liga Mundial. Durante um treino, oito jogadores foram encaminhados para a delegacia de polícia.

Havia uma acusação de estupro coletivo contra uma mulher de 35 anos. Dois jogadores foram liberados e os outros seis, presos.

O julgamento condenou todos. As penas eram variáveis. Todos perderam a Olimpíada do Rio.

Um novo julgamento diminuiu a pena de cinco dos seis atletas. O outro, Luis Sosa, foi inocentado. Passou mais de um ano preso, perdeu a Olimpíada e era inocente.

Como pode? A mulher se enganou?

Não sei.

Ele processou o governo da Finlândia e recebeu 200 mil dólares.

Então, eu sou bem mais pobre que o governo da Finlândia. E, mesmo que tivesse esse dinheiro, não repararia o mal que o cidadão sofreu.

Então, não vou levantar da cadeira, chegar perto da televisão, trocar meu óculos por uma lupa e tentar descobrir se Dudu estava por cima ou por baixo. Estava batendo ou apanhando?

As redes sociais que vomitem seu ódio.

Eu, não.

Menon