PUBLICIDADE
Topo

Ah, Zico...

Bandeirão com o rosto de Zico na torcida do Kashima Antlers, do Japão - Hiroki Watanabe/Getty Images
Bandeirão com o rosto de Zico na torcida do Kashima Antlers, do Japão Imagem: Hiroki Watanabe/Getty Images
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

16/06/2020 12h54

A revista Veja foi lançada em 1968, sob comando de Mino Carta. Era ótima, uma grande mudança no jornalismo brasileiro. Uma revolução, diria.

Comprei os primeiros 40 números. Devem estar em Aguaí, ainda, na nossa pequena biblioteca. As capas eram espetaculares.

Uma delas, trazia Jacqueline Kennedy, que estava se casando com o bilionário Onassis. Uma decepção para o "cidadão comum", que amava sua relação com John Kennedy, assassinado poucos anos antes.

E a Veja traduziu toda essa decepção com uma foto da ex-primeira dama e a frase "Ah, Jacqueline...".

E o que Zico tem a ver com isso?

Ele teve o irmão torturado pela Ditadura. Nada justifica a tortura. Muito menos o fato de alguém ser um professor, como era o Nando.

E Zico votou em Bolsonaro, que tem Brilhante Ulstra como ídolo. Um torturador. Alguém que poderia ter torturado seu irmão.

Ah, Zico.....

Nunca será mesmo como Maradona...

Menon