PUBLICIDADE
Topo

Menon


Opinião: Lugano tem comportamento horrível e prejudica o São Paulo

Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF
Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do São Paulo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

17/02/2020 04h01

Lugano é superintendente de relações institucionais do São Paulo. E está se comportando como zagueiro do Canelones.

Comandar a tropa - Raí, Pássaro e Chapecó - ao vestiário do árbitro para ameaças e ofensas não adianta nada. Só atrapalha o clube.

A luta precisa ser na Federação, mostrando os erros do árbitro, listar a sequência de atitudes em que se consideram "roubados", vetar árbitros, protocolar suas desconfianças.

Lugano, em sua conta oficial no twitter, adora fazer insinuações. Sempre fala em "coincidências" que, a seu ver, prejudicam o São Paulo.

É uma tática recorrente. Na Copa-14, repetiu várias vezes que a suspensão de Suárez (nove jogos por conta da mordida em Chellini) era uma forma de o Brasil enfraquecer o Uruguai.

O Brasil estaria com medo de um novo Maracanazo. Houve jornalista uruguaio que acreditou na lorota e passou a questionar brasileiros que cobriam o Uruguai.

Diego Lugano ama o São Paulo. É ídolo eterno da torcida. Agora, como dirigente, precisa ter uma atuação mais profissional e menos mercurial. Falar olho no olho com os responsáveis pela arbitragem. E não ficar jogando para a torcida, como se fosse discípulo de Marcelinho "segunda pele" Carioca.

Menon