PUBLICIDADE
Topo

Soteldo é tigre faminto, não jibóia saciada

Soteldo abraça Carlos Sánchez durante o jogo entre Santos e Botafogo-SP - Santos FC/Divulgação
Soteldo abraça Carlos Sánchez durante o jogo entre Santos e Botafogo-SP Imagem: Santos FC/Divulgação
Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

10/02/2020 21h50

Vamos juntar um venezuelano bom de bola, um carioca bom de texto e um velho santista, ótimo revisor.

O Diário Lance! foi lançado em 1997. Tinha alguns veteranos - Noriega, Lédio, Barreto, Stycer, eu e outros - e muitos focas talentosos. Um deles era o Rodrigo Araújo, que escrevia muito bem.

Outro dia, no FB, li um pequeno texto dele. Ele dizia que os jogadores de hoje sai profissionais corretos, mas sem aquele instinto matador de antes. A Argentina poderia eliminar o Brasil, mas como já estava classificada, como já havia cumprido seu papel, não se esforçou. O Fluminense fez três no Botafogo e poderia fazer seis. Não foi atrás. Parou.

Imediatamente, me lembrei do Hélio Cabral, ex-delegado e ex-revisor no Jornal da Tarde. Ótimo revisor. Cortava tudo. Ficava bravo com a frase rápido contra-ataque. Você já viu contra-ataque lento, rapaz?

Ele ria muito de uma preleção de Paulo Autuori. "Não quero jibóias saciadas, quero tigres famintos", ele teria dito.

Soteldo não tem corpo de tigre. Parece mais um coala, um coelhinho.

Ledo engano. Ele é do tipo encarador. Quer ganhar sempre. Todos os jogos. Todas as jogadas. Nunca tira o pé. Nunca deixa de tentar fazer tudo o que pode. Vai para o jogo com a fogosidade de um adolescente no primeiro date. O Botafogo sentiu na pele.

Soteldo faz a alegria de quem gosta de futebol. Como o Rodrigo, o Hélio, eu e todos vocês.

Menon