Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
OpiniãoEsporte

O copo meio cheio e o copo meio vazio do Flamengo na corrida pelo título

Antes da rodada do meio de semana, com quatro partidas remanejadas, atrasadas, o Flamengo precisava derrotar o Red Bull Bragantino, que estava à sua frente na classificação, e vencer os outros quatro jogos pela frente. Além disso, dependia de três a quatro resultados de Palmeiras e Botafogo.

Ao final do domingo, os rubro-negros haviam batido o time paulista e vencido o América. Além disso, os botafoguenses já tinham perdido os quatro pontos necessários para serem superados e os palmeirenses dois de três. Ficou faltando apenas um resultado de outra equipe nas rodadas finais.

Esse é o copo meio cheio do Flamengo, que poderá alcançar a melhor campanha do segundo turno se vencer o Atlético Mineiro, quarta-feira, às 19h30, no Maracanã. Os comandados de Tite já têm o melhor desempenho do Campeonato Brasileiro atuando como visitantes.

Mas há o copo meio vazio. Mirando o Palmeiras, que tem a mesma pontuação e número de vitórias idêntico, os rubro-negros ficam bem atrás no saldo de gols. Por isso dependem de pelo menos um empate do atual campeão nacional, além de seus próprios resultados.

Ocorre que os palmeirenses estiveram muito próximos da derrota para o Fortaleza, mas colheram um valioso ponto. Mesmo jogando com menos um homem desde os 13 minutos do segundo tempo. Foram buscar a igualdade duas vezes, mesmo atuando com dez.

Ficam as dúvidas: conseguirá o Flamengo vencer Atlético e Cuiabá no Rio de Janeiro, além do São Paulo no Morumbi? E mesmo se somar nove pontos, o Palmeiras perderá algum contra América e Fluminense, como mandante, ou Cruzeiro, jogando em Belo Horizonte? Difícil...

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Continua após a publicidade

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes