PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro Cezar: Flamengo escancara defeitos e virtudes ao vencer o Barcelona

Vitinho e Bruno Henrique comemoram o 2º gol do camisa 27, em partida entre Flamengo e Barcelona-EQU, pela Libertadores - Staff Images / CONMEBOL
Vitinho e Bruno Henrique comemoram o 2º gol do camisa 27, em partida entre Flamengo e Barcelona-EQU, pela Libertadores Imagem: Staff Images / CONMEBOL
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

22/09/2021 23h30Atualizada em 23/09/2021 12h20

O Flamengo não controla mais os jogos com posse de bola e a pressão intensa no campo inimigo. Com Renato Gaúcho Portaluppi, parte para a briga franca na troca de golpes que gera algumas partidas emocionantes, mas arriscadas, como foram os minutos iniciais da partida frente ao Barcelona, no Maracanã, jogo de ida pela semifinal da Libertadores.

Os equatorianos tiveram chances, Diego Alves impediu a abertura do placar. Os rubro-negros tinham mais qualidade, mandaram duas bolas nas redes no primeiro tempo e mais um par no travessão. A combinação demoníaca Gabigol-Bruno Henrique e Vitinho levou aos 2 a 0 antes do intervalo.

Com Molina expulso no último lance da etapa inicial, o Barcelona voltou com 10 homens e um placar muito desfavorável. Não perder por mais já seria interessante para a equipe de Guayaquil, mas ela atacou, pressionou no campo do adversário e novamente o goleiro do time carioca evitou o famoso gol fora de casa.

A incapacidade do atual Flamengo de cadenciar o jogo quando necessário permitiu longas trocas de bola com aceleração fora de hora e aleatoriedade em campo, algo mais interessante para o Barcelona, que escapou de levar o terceiro nos momentos mais difíceis, quase fez o seu tento e terá chances de sobreviver em seus domínios.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL