PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

O 'guru' e os 2 motivos que fizeram Miguel Ramírez dizer não ao Palmeiras

Miguel Ángel Ramírez, técnico que vai ficar no Independiente Del Valle - Silvia Izquierdo-Pool/Getty Images
Miguel Ángel Ramírez, técnico que vai ficar no Independiente Del Valle Imagem: Silvia Izquierdo-Pool/Getty Images
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

21/10/2020 10h10

Miguel Ángel Ramírez não tem agente, mas tem um profissional que o aconselha e que é fundamental nas decisões que o técnico de quase 36 anos toma na carreira. E o ex-jogador e agora dirigente esportivo Roberto Olabe, espanhol como Ramírez, foi fundamental na decisão de não aceitar agora o Palmeiras.

O plano do "guru" para Ramírez é o futebol europeu. Mesmo que inicialmente em clube de menor porte, a estabilidade que a Europa pode dar ao espanhol é fundamental para o método de trabalho que ele propõe, com uma integração absoluta com as categorias de base. O que é preciso tempo.

A recusa ao Palmeiras neste momento se seguiu também por dois motivos:

1- Preocupação de não poder ter tempo para montar um grupo de olheiros (scouting) e de trabalho conjunto da base com o profissional. As temporadas 2020 e 2021 vão emendar e não haverá uma pré-temporada. A fama dos clubes brasileiros de demitir treinadores em poucos meses pesou;

2 - Finalizar o trabalho em um clube que tem o DNA de Olabe e de Ramírez. O projeto do Independiente Del Valle foi moldado pelos dois.

Foi Olabe quem levou Ramírez ao Qatar, onde o treinador trabalhou por seis anos, de 2012 a 2018, na Academia Aspire, projeto do governo qatariano para a formação de jovens jogadores. Lá Ramírez e uma equipe ficavam com as jovens promessas de segunda a sexta e nos finais de semana esses atletas voltam a seus clubes para participarem de competições.

Os qatarianos passaram a criar uma rede de contatos mundial, atrás também de talentos de outros países. Olabe, em 2018, acaba indo ao Equador para manter negociações para a Academia Aspire e acaba conhecendo dirigentes do Independiente Del Valle, que queriam montar um ambicioso projeto de jovens jogadores que pudesse dar frutos no profissional a médio prazo.

Olabe convidou Ramírez para deixar Doha e ir a Quito. Os dois montaram o projeto todo, do método de treinamento a como identificar promessas não só no mercado equatoriano, mas também em outros países da América Latina. Em alguns meses o técnico da equipe principal, Ismael Rescalvo, deixou o clube e Ramírez foi convidado para assumir o profissional.

Olabe hoje é diretor do Real Sociedad, da Espanha, e pretende em curto prazo levar seu pupilo à Europa. De qualquer maneira, para Ramírez fechar um ciclo completo no Del Valle é fundamental porque simplesmente ele é pai, junto com Olabe, de todo o projeto.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.