PUBLICIDADE
Topo

Luxa demitido pelo Palmeiras coloca Brasileiro na média de troca de técnico

Vanderlei Luxemburgo foi demitido pelo Palmeiras após derrota em casa - GettyImages
Vanderlei Luxemburgo foi demitido pelo Palmeiras após derrota em casa Imagem: GettyImages
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

15/10/2020 12h03

A demissão de Vanderlei Luxemburgo pela diretoria do Palmeiras no fim da noite desta quarta-feira (14) foi a 12ª troca de treinador de clube da Série A durante o Campeonato Brasileiro e colocou a edição 2020 na média de anos anteriores. A pandemia do coronavírus, que alterou o calendário, não mudou portanto o hábito de dirigentes de cortarem técnicos no meio do caminho.

Foram 11 demitidos e um que pediu demissão, Vagner Mancini, que deixou o Atlético-GO para assumir o Corinthians — semana antes havia mandado embora Tiago Nunes. A média de mudança de treinadores na Série A desde 2006, quando o torneio fixou 20 participantes e 38 rodadas, é de pouco mais de 12 até a 16ª rodada, estágio atual do Brasileirão-2020.

No ano passado até a rodada 16 haviam sido trocados somente oito treinadores, igualando a menor marca até essa altura, em 2008. O que poderia parecer uma evolução acabou mesmo sendo um ponto fora da curva. O levantamento aponta não apenas demissões, mas também técnicos que saem para assumir outros trabalhos, no Brasil ou no exterior.

Em 2020 as primeiras demissões ocorreram na quarta rodada, com as saídas de Barroca no Coritiba e Ney Franco no Goiás. A pandemia paralisou o futebol no país em março e só retornou, para boa parte dos clubes, em agosto com o início do Brasileiro — que só vai terminar em fevereiro de 2021. Nem mesmo todo esse tempo parado fez os dirigentes terem mais paciência quando os resultados não apareceram ainda em início de competição.

Onze times fizeram trocas, o Goiás duas vezes: depois de mandar Nei Franco embora em agosto repetiu a dose com Thiago Larghi em setembro, após a 12ª rodada. O único que não demitiu, mas perdeu o técnico por decisão do treinador, foi o Atlético-GO — Mancini está agora no Corinthians.

MUDANÇAS DE TÉCNICOS NO BRASILEIRO (A PARTIR DE 2006, PONTOS CORRIDOS COM 20 TIMES E 38 RODADAS)
2020 - 12 (até a rodada 16)
2019 - 26 no total (8 até a rodada 16)
2018 - 29 no total (15 até a rodada 16)
2017 - 23 (13 até a rodada 16)
2016 - 29 (10 até a rodada 16)
2015 - 32 (13 até a rodada 16)
2014 - 23 (13 até a rodada 16)
2013 - 24 (13 até a rodada 16)
2012 - 19 (8 até rodada 16)
2011 - 21 (11 até a rodada 16)
2010 - 32 (18 até a rodada 16)
2009 - 22 (13 até a rodada 16)
2008 - 27 (12 até a rodada 16)
2007 - 32 (16 até a rodada 16)
2006 - 33 (17 até a rodada 16)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.