PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Marcel Rizzo


Por que reforços Cantillo e Viña só foram registrados por seis meses na CBF

Cantillo tem contrato de quatro anos com o Corinthians, mas o primeiro registro na CBF foi de seis meses - Marcello Zambrana/AGIF
Cantillo tem contrato de quatro anos com o Corinthians, mas o primeiro registro na CBF foi de seis meses Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

21/02/2020 09h37

Classificação e Jogos

O volante colombiano Victor Cantilo e o lateral-esquerdo uruguaio Matías Viña tiveram seus contratos registrados apenas por seis meses por Corinthians e Palmeiras, respectivamente, na CBF. Mas por que isso, se os acordos anunciados com os dois atletas são mais longos do que isso?

Burocracia. O visto de trabalho para estrangeiro, que dá direito à residência no país, é emitido pela primeira vez por um máximo de dois anos, mas desde 2019 a Secretaria de Trabalho, o antigo Ministério do Trabalho que no governo Jair Bolsonaro virou secretaria e foi integrado ao Ministério da Economia, tem dado um visto parcial, de seis meses, antes de concluir o processo para o definitivo.

Por isso que Cantillo, contratado em janeiro pelo Corinthians do Junior Barranquilla (COL), foi registrado inicialmente somente até 31 de julho de 2020, como consta nos registros oficiais, e não os quatro anos do contrato assinado. E Viña, ex-Nacional (URU) que acertou em fevereiro até o fim de 2024, aparece com registro até 10 de agosto de 2020.

Assim que o visto de trabalho de dois anos for emitido, o período de registro desses dois jogadores na CBF e na Federação Paulista de Futebol (FPF) aumentará automaticamente. Não há risco, portanto, dos atletas ficarem impossibilitados de entrar em campo após julho ou agosto.

Especialistas ouvidos pelo blog dizem que é a praxe agora o visto de seis meses e, na verdade, até agiliza o processo, que antes era um pouco mais lento para a obtenção do documento de dois anos. Este depois é renovado novamente por mais dois anos e após essa soma de quatro anos pode ser pedido um mais longo, de dez anos, já que o estrangeiro está definitivamente integrado ao Brasil com seu trabalho.

Cantillo foi uma das principais contratações do Corinthians para a temporada, junto com o meia-atacante Luan, e vem agradando. Já Viña foi o primeiro acerto do novo diretor de futebol palmeirense, Anderson Barros, e chegou para ser titular, apesar do elenco palmeirense ter outros três laterais-esquerdos: Diogo Barbosa, Victor Luis e o garoto Esteves.

Marcel Rizzo