PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sob desconfiança, SP e Santos fazem clássico de lideres em reconstrução

Jair e Dorival comandam Santos e São Paulo, respectivamente, neste domingo - Marcello Zambrana/AGIF/Rubens Chiri/saopaulofc.net
Jair e Dorival comandam Santos e São Paulo, respectivamente, neste domingo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF/Rubens Chiri/saopaulofc.net

José Eduardo Martins e Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

18/02/2018 04h00

O clássico deste domingo entre São Paulo e Santos, às 17h (de Brasília), no estádio do Morumbi, reúne dois rivais que ainda tentam afastar olhares de desconfiança sobre si. Com times em reconstrução, o encontro válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista pode servir, principalmente, para diminuir a carga de pressão sobre uma das equipes.

A pressa por apresentações convincentes e um novo momento se dá pelas fases superiores de Palmeiras e Corinthians. O primeiro tem o melhor início do Estadual e está invicto na temporada com seis vitórias e um empate, enquanto o segundo, apesar de duas derrotas em sequência, goza de paciência maior pelos dois títulos conquistados no último ano.

Após boa arrancada no último Campeonato Brasileiro, Dorival precisou iniciar o ano remontando os seus 11. Perdeu ainda na pré-temporada a sua principal referência, o meia Hernanes, que retornou ao Hebei Fortune, da China. No pacote, a saída de outro titular: Lucas Pratto, negociado com o River Plate, da Argentina.

Agora, o novo São Paulo ainda busca se encontrar com as peças que contratou. O treinador tenta embalar o time uma nova liderança técnica, do trio Cueva, Nenê e Diego Souza, responsáveis pelos últimos cinco gols marcados.

Apesar das dificuldades, conseguiu algumas evoluções recentes. A primeira delas é a montagem de um time mais seguro defensivamente, que sofre menos. O resultado foram as quatro vitórias nos últimos quatro jogos – Madureira-RJ e CSA-AL, pela Copa do Brasil, e Botafogo-SP e Bragantino, pelo Paulista –, todas elas sem sofrer gols.

Mesmo assim, a equipe já teve as suas atuações contestadas, sendo vaiado diante do Madureira-RJ, em Londrina. E, assim como o Santos - derrotado pelo Palmeiras - já tomou o choque de uma derrota no primeiro clássico do ano: 2 a 1 para o Corinthians, em 27 de janeiro. As reclamações mais constantes recaem pela falta de mais tempo para a realização de uma pré-temporada.

“Não vejo um time do Brasil sem críticas. Acho que o time tem produzido muito bem. O imediatismo do país impressiona. Temos de trabalhar sem dar importância para isso”, disse o Dorival após a classificação são-paulina em Maceió.

O Santos não é diferente, iniciou o a temporada em transição de diretoria, depois de tumultuado processo eleitoral, em dezembro, e a escolha por um novo treinador: Jair Ventura.

Jair, no entanto, já começou o seu trabalho cercado por problemas. Primeiramente, as perdas dos pilares santistas nos últimos anos: o meia Lucas Lima e o atacante Ricardo Oliveira, que trocaram o Santos por Palmeiras e Atlético-MG, respectivamente. Para piorar, sofreu a baixa inesperada do atacante Bruno Henrique, que atuou somente poucos minutos na estreia e está afastado por tempo indeterminado devido à séria lesão no olho direito.

Somam-se a dificuldade os poucos reforços contratados. O principal deles, Gabriel Barbosa, já justificou o investimento com dois gols nas duas primeiras partidas desde o retorno. O atacante Eduardo Sasha, contratação pedida pelo próprio Jair, também tem surpreendido pelo bom desempenho.

O técnico ainda tenta embalar uma equipe irregular, que não engrenou uma sequência de vitórias na temporada e também foi derrotada no primeiro clássico do ano: 2 a 1 para o Palmeiras, em 4 de fevereiro.

Para o clássico, o Santos deve contar com os retornos do zagueiro Luiz Felipe e do experiente volante Renato, recuperados de problemas musculares. David Braz cumpre suspensão, enquanto o lateral direito Victor Ferraz segue em recuperação de luxação no ombro.

Jair ainda tem dúvidas sobre o aproveitamento de alguns atletas. O colombiano Jonathan Copete, por exemplo, pode ser utilizado como lateral esquerdo devido as atuações pouco convincentes de Caju.

O São Paulo, por sua vez, não contará com o zagueiro Rodrigo Caio, que cumpre suspensão. O clube não pôde tentar a reversão da punição junto à Federação Paulista de Futebol (FPF), por conta do regulamento da competição que não permite que a pena seja transferida para outra partida. Por outro lado, a equipe terá o retorno do volante Petros, que deve voltar na vaga de Hudson.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X SANTOS

Data:
18 de fevereiro de 2018, domingo
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Alex Ang Ribeiro

São Paulo: Sidão, Militão, Bruno Alves, Anderson Martins (Arboleda) e Reinaldo; Jucilei, Petros e Nenê; Cueva, Diego Souza e Marcos Guilherme. Técnico: Dorival Júnior

Santos: Vanderlei; Daniel Guedes, Luiz Felipe (Gustavo Henrique), Lucas Veríssimo e Caju (Copete); Alison, Renato e Vecchio (Jean Mota); Copete (Arthur Gomes), Eduardo Sasha e Gabriel Barbosa. Técnico: Jair Ventura

Futebol