PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mano critica Federação por banco de reserva em estádio: "eu não enxergava"

Mano Menezes não gostou da posição do banco de reservas do estádio Farião - Thiago Ribeiro/AGIF
Mano Menezes não gostou da posição do banco de reservas do estádio Farião Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, em Belo Horizonte

19/01/2019 19h13

A localização do banco de reservas para os visitantes no Farião, em Divinópolis, irritou Mano Menezes. O treinador não gostou de ficar atrás do gol no estádio, enquanto a comissão técnica do Guarani-MG se acomodou em outro espaço do campo.

O treinador do Cruzeiro disparou até contra a Federação Mineira de Futebol (FMF) por conta da posição em que precisou ficar no decorrer da partida.

"Isso é algo que me deixa triste porque no dia de hoje permitem fazer isso. Não é só do clube, é da Federação [Mineira de Futebol] permitir. Não deve ser permitido isso no futebol. É impossível dirigir a equipe de lá. Você não enxerga nenhuma linha, não pode ter sol para um e não ter para outro. Não estou defendendo a minha classe, a minha função e criticando a dos outros. Não se trata de A ou B. Isso não pode ser permitido", declarou. 

O comandante ainda se lembrou de São Januário, onde os dois bancos ficavam atrás do gol. O gaúcho não esconde a decepção e cobra uma solução para as temporadas seguintes:

"Lá em São Januário, era para duas equipes. A regra é clara. O banco do visitante deve ficar da mesma distância da linha do campo que a do mandante. É possível resolver isso, nós sabemos que é", concluiu Mano.

Apesar da indignação de Mano Menezes, o Cruzeiro venceu o Guarani-MG por 3-1 na primeira rodada do Campeonato Mineiro. Raniel, duas vezes, e Robinho marcaram os gols do visitante.

Futebol