PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cartola do América-MG dispara contra auxiliar em revés para o Atlético-MG

Roger Guedes persegue Giovani no clássico entre América-MG e Atlético-MG - Pedro Vale/AGIF
Roger Guedes persegue Giovani no clássico entre América-MG e Atlético-MG Imagem: Pedro Vale/AGIF

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

18/02/2018 19h27

Marcus Salum, presidente do América-MG, deixou o estádio Independência, na tarde deste domingo (18), bastante nervoso com a atuação de Guilherme Dias Camilo, assistente do jogo com o Atlético-MG, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro.

O mandatário optou por se pronunciar ao término da partida ocorrida no Horto e detonou a atuação do trio de arbitragem. Ele ainda fez questão de pedir afastamento do auxiliar do confronto.

A indignação do Coelho se deu por dois lances. O clube crê que, no gol assinalado por Róger Guedes, a bola não entrou. Por outro lado, garante que, em cabeceio de Marquinhos, houve gol do mandante.

O curioso é que o auxiliar Guilherme Dias Camilo anotou gol do jogador do Atlético e não validou o lance do meia-atacante do América.

"Interrompi a coletiva aqui porque tenho uma torcida do lado de fora que está esperando alguma coisa. É um ano que estamos organizados e unidos para crescer o América no futebol. Hoje, o que vi aqui é o velho futebol mineiro. isso eu vi confirmado pela televisão. A mesma convicção para um lance duvidoso e que, por azar dele, a bola não entrou, foi a que ele usou para não validar uma bola que entrou. Eu vou ser punido, porque xinguei o bandeira (Guilherme Dias Camilo) ali no lance", declarou Marcus Salum.

"Mas espero que ele também seja punido. Isso não vai nos desestabilizar. Esse é o velho futebol mineiro. O América está preparado para ser grande, mas ser grande aqui em Minas Gerais é difícil. Peço o apoio de vocês, que é uma imprensa séria. Não aceitem as diferenças de critério entre os grandes clubes mineiros", acrescentou.

O presidente do América-MG ainda prometeu ir à Federação Mineira de Futebol (FMF) para cobrar mais imparcialidade dos árbitros nos jogos da equipe.

"Aí faz 3 a 0 no final do jogo contra um time desesperado e fica achando que jogou a maior partida do mundo. O América não vai abaixar a cabeça, vai à Federação (Mineira de Futebol). Não vamos abaixar a cabeça", concluiu.

Futebol