PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio vai à Conmebol pedir pontos e vaga na final após 'caso Gallardo'

Marcelo Gallardo estava suspenso, mas manteve contato via rádio e foi ao vestiário - ALEJANDRO PAGNI / AFP
Marcelo Gallardo estava suspenso, mas manteve contato via rádio e foi ao vestiário Imagem: ALEJANDRO PAGNI / AFP

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

31/10/2018 10h59Atualizada em 31/10/2018 13h26

O Grêmio vai pedir os pontos do jogo contra o River Plate, em Porto Alegre, e consequente classificação à final da Libertadores. O recurso no Tribunal Disciplinar da Conmebol vai se basear na presença de Marcelo Gallardo, treinador do clube argentino, no vestiário da Arena e comunicação com comissão técnica via rádio durante a partida mesmo com suspensão aplicada na véspera do duelo.

A tese do Grêmio é que o River infringiu o regulamento de forma severa. Aos olhos dos advogados do clube gaúcho, o caso é similar a escalação irregular de um jogador. Por meio de nota oficial publicada nesta quarta-feira, o clube gaúcho mostra os artigos que acredita que os argentinos infringiram.

"Em reunião extraordinária do Conselho de Administração realizada ao final da manhã desta quarta-feira, na Arena, o Grêmio decidiu ajuizar reclamação por descumprimento do regulamento geral da competição e do regulamento disciplinar, em face da participação irregular do treinador do River Plate no vestiário durante o intervalo para instruções aos atletas do seu clube, assim como por meio de comunicação por rádio com seu auxiliar - estando ele suspenso pela Conmebol. A tipificação do fato está devidamente comprovada no artigo 176 do regulamento geral da competição e artigos 19, 56 e 76 do regulamento disciplinar da Conmebol", diz o comunicado.

Leia também:

"Houve interferência externa de uma pessoa que estava impedida de participar do jogo. E depois, essa pessoa saiu se vangloriando. Vamos pedir a perda dos pontos do jogo", declarou Nestor Hein, vice jurídico do Grêmio.

Uma reunião de emergência no Conselho de Administração foi chamada para definir qual seria o procedimento do Grêmio, que decidiu enviar uma comitiva para o Paraguai para se encontrar com a entidade sul-americana. A reunião está marcada para as 16h (de Brasília).

"O River cometeu uma irregularidade que está prevista no regulamento. A incompetência da arbitragem, ao não revisar o gol (de empate, marcado por Rafael Borré) é uma coisa. O caso do técnico (Marcelo Gallardo) é objetivo, é fato e admitido publicamente", disse Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio.

Durante o jogo na Arena, Gallardo foi flagrado em contato com a comissão técnica por meio de rádio. No intervalo, o treinador desceu das cabines de imprensa e furou bloqueio para acessar o vestiário visitante. Ao ver o episódio, dirigentes do Grêmio chamaram delegados para denunciar a irregularidade. Um dos delegados do jogo aguardou a saída do técnico para registrar o caso com fotos e vídeos.

Depois da vitória de virada, e classificação à decisão, Marcelo Gallardo novamente descumpriu a punição imposta na véspera da partida pela Conmebol. O treinador deu entrevista na zona mista, admitiu que infringiu a determinação do Tribunal Disciplinar e afirmou não se arrepender.

O Grêmio entende que há jurisprudência por causa das punições recentes recebidas por Santos e Chapecoense. Em ambas ocasiões houve prévio conhecimento de jogador irregular e eles, ainda assim, foram a campo. Os dois clubes acabaram punidos e tiveram seus respectivos resultados revertidos para derrota por 3 a 0.

Em sua nota oficial, o Grêmio também reclamou do primeiro gol do River Plate, já que a bola resvalou na mão de Borré antes de entrar.

"Além disso, o primeiro gol do River Plate ocorreu em condição irregular, sem qualquer participação ou interferência do VAR, embora constatada a ilicitude. A Conmebol, antecipadamente aos jogos das semifinais, reuniu os clubes em sua sede e estabeleceu o fair play com vistas às disputas. Na ocasião, obteve concordância de todos os clubes em competir de forma limpa, cumprindo as regras do jogo, o que motiva o Grêmio a tomar suas providências", publicou o clube.

Veja a nota oficial divulgada pelo Grêmio:

"O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, após os episódios ocorridos no jogo da última terça-feira contra o River Plate, valendo classificação à final da Conmebol Libertadores da América, de flagrante desrespeito aos princípios éticos estabelecidos pelo fair play, vem a público se manifestar com o que segue.

Em reunião extraordinária do Conselho de Administração realizada ao final da manhã desta quarta-feira, na Arena, o Grêmio decidiu ajuizar reclamação por descumprimento do regulamento geral da competição e do regulamento disciplinar, em face da participação irregular do treinador do River Plate no vestiário durante o intervalo para instruções aos atletas do seu clube, assim como por meio de comunicação por rádio com seu auxiliar - estando ele suspenso pela Conmebol. A tipificação do fato está devidamente comprovada no artigo 176 do regulamento geral da competição e artigos 19, 56 e 76 do regulamento disciplinar da Conmebol.

Além disso, o primeiro gol do River Plate ocorreu em condição irregular, sem qualquer participação ou interferência do VAR, embora constatada a ilicitude. A Conmebol, antecipadamente aos jogos das semifinais, reuniu os clubes em sua sede e estabeleceu o fair play com vistas às disputas. Na ocasião, obteve concordância de todos os clubes em competir de forma limpa, cumprindo as regras do jogo, o que motiva o Grêmio a tomar suas providências.

Em face disso, uma comitiva liderada pelo presidente Romildo Bolzan embarca nesta tarde para Assunção para protocolar reclamação e manter reuniões com autoridades da entidade."

Futebol