PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Kannemann inverte lógica e lamenta cartão apenas no final contra o River

AP Photo/Gustavo Garello
Imagem: AP Photo/Gustavo Garello

Jeremias Wernek

Do UOL, em Buenos Aires (Argentina)

24/10/2018 12h15

Walter Kannemann não ficou chateado pelo cartão amarelo recebido diante do River Plate, que o fará ficar fora do jogo de volta da semifinal da Libertadores. Bem pelo contrário. Logo depois da vitória por 1 a 0 no Monumental de Nuñez, o zagueiro lamentou não ter sido advertido antes. O posição se explica pelos riscos que o time gaúcho correu na bola aérea com Maidana, antes e depois de Michel marcar e dar a vantagem.

O zagueiro do Grêmio travou um duelo particular com o defensor do River e foi superado duas vezes. Maidana cabeceou ambas com espaço, mas errou o desvio.

"Eu comecei um pouco tímido e devia ter tomado o cartão antes. Eles fizeram muito bloqueio, jogo de braço. Tentei não tomar o cartão, mas errei. Deveria ter jogado como fiz no final do jogo. Na próxima, vou tentar fazer isso desde o início", disse Kannemann.

No vestiário, o camisa 4 procurou Renato Gaúcho para falar sobre o terceiro amarelo.

"O Kannemann até veio se explicar comigo, contou porque tomou o terceiro cartão. Senti ainda no primeiro tempo que ele levar. Ele estava comprando o barulho, não deixando o time do River crescer. Ele tem muitas qualidades, muitas mesmo", comentou o treinador.

Mesmo com as falhas em dois lances de bola aérea, Kannemann foi um dos destaques do Grêmio no jogo em Buenos Aires. O zagueiro liderou a estratégia de gastar tempo e também foi firme nas divididas. Ao lado de Geromel, garantiu solidez e evitou polêmica com Maidana.

"Não acho que seja uma bola parada fraca (no time do River Plate). Nós temos jogadores altos, eles zagueiros fortes. Foram brigas de posicionamento, algo normal. Nosso trabalho era não deixar eles cômodos", afirmou Kannemann.

O Grêmio volta a campo no sábado, contra o Sport, pelo Campeonato Brasileiro. Na terça-feira, o time recebe o River Plate e pode até empatar que chega à final da Libertadores pelo segundo ano consecutivo.

Futebol