PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeirense nega temor com arbitragem e avisa: "Não podemos tirar o pé"

Árbitro de Boca x Palmeiras será o mesmo que já apitou vitória alviverde na Bombonera - AFP PHOTO / JUAN MABROMATA
Árbitro de Boca x Palmeiras será o mesmo que já apitou vitória alviverde na Bombonera Imagem: AFP PHOTO / JUAN MABROMATA

Leandro Miranda

Do UOL, em Buenos Aires (Argentina)

23/10/2018 16h00

O Palmeiras vai enfrentar o Boca Juniors nesta quarta-feira (24) pelo jogo de ida da semifinal da Libertadores, mas na Argentina boa parte da imprensa e da torcida já projetam algo mais à frente: uma possível final inédita entre os arquirrivais Boca e River Plate, que pega o Grêmio do outro lado da chave. Para o volante alviverde Bruno Henrique, porém, nada disso pode afetar o planejamento do time. Ele negou qualquer temor em relação à arbitragem e disse que o Palmeiras precisa jogar muito para vencer na Bombonera, sem se preocupar com fatores externos.

"Nós não podemos tirar o pé. Nesse momento, não podemos pensar que o VAR possa prejudicar a gente, ou mesmo prejudicar o Boca. Temos que estar preocupados somente em jogar, fazer o que a gente vem fazendo. Essa questão do VAR, da arbitragem, que está rolando nos bastidores, é uma questão que a diretoria já está falando sobre isso. Nós jogadores estamos 100% focados no jogo, e esperamos que o árbitro possa fazer uma excelente partida amanhã", disse o atleta.

O árbitro da partida será o chileno Roberto Tobar, o mesmo que apitou a vitória por 2 a 0 sobre o Boca na Bombonera na fase de grupos, em abril. O Palmeiras ficou satisfeito com o nome de Tobar por entender que ele não se intimidou com a torcida do Boca naquele jogo, inclusive anulando corretamente dois gols da equipe argentina. Na semana passada, o presidente Maurício Galiotte participou de encontro com os mandatários dos outros semifinalistas na Conmebol, e o clube entendeu que a reunião foi boa para fortalecer as relações com a entidade.

Na entrevista desta terça, Bruno Henrique foi questionado por jornalistas argentinos a respeito da expectativa por uma possível final Boca e River, mas minimizou a questão. "É natural, tem dois times da Argentina, os argentinos vão falar que querem os dois na final. No Brasil é assim também. Mas a gente sabe que futebol se decide na hora em que a bola rola, não é fora dos gramados ou antes do jogo. A gente pensa nisso, quer muito passar para a final, estamos focados em fazer dois jogos fortes", declarou.

O Palmeiras tem tido uma temporada de conflitos com a arbitragem, como a tentativa de impugnar a final do Paulistão alegando interferência externa a favor do Corinthians e as recentes reclamações de erros contra a equipe no Brasileirão e na Copa do Brasil. Na Libertadores, porém, não houve grandes polêmicas. Mesmo nas expulsões de Felipe Melo e Deyverson contra o Cerro Porteño, nas oitavas de final, o clube não assumiu uma postura de revolta.

Para Bruno Henrique, o time já mostrou está maduro para encarar a pressão na Bombonera. "Acho que já estamos passando por um momento de vários jogos decisivos, em que mentalmente a gente tem que estar muito forte. Amanhã é mais uma prova disso, mas nosso time já está maduro nisso, é um time experiente. Então, principalmente em um jogo como amanhã, isso é fundamental, entrar psicologicamente muito bem, com a mentalidade muito boa, tranquila, motivada e focada no que a gente tem que fazer. O time já está passando por esses momentos, está crescendo. Espero que a gente possa sair daqui com um bom resultado", afirmou. A bola rola a partir das 21h45 desta quarta-feira.

Futebol