PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Recordistas, Fábio e Henrique são remanescentes do último Cruzeiro x Boca

No clube desde 2005, Fábio já era o goleiro no último confronto contra o Boca, em 2008 - Liamara Polli/AGIF
No clube desde 2005, Fábio já era o goleiro no último confronto contra o Boca, em 2008 Imagem: Liamara Polli/AGIF

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

18/09/2018 04h00

O goleiro Fábio e o volante Henrique estão no Top 10 de jogadores que mais vestiram a camisa do Cruzeiro em toda a história. Juntos, somam mais de 1.200 partidas. Tanto de tempo de casa faz com que os dois sejam os únicos remanescentes do último confronto entre Cruzeiro e Boca Juniors. Tradicionais participantes da Libertadores, os clubes começam a decidir, nesta quarta-feira, uma vaga para a semifinal da competição e reeditam o duelo dez anos depois. Em 2008, os argentinos levaram a melhor pelas oitavas de final do torneio.

Além de Fábio e Henrique, aquele time do Cruzeiro era formado por outras peças conhecidas como Ramires, Marcelo Moreno, Guilherme (hoje Atlético-PR) e Wagner (agora ex-Vasco). Na beira do gramado, o comandante era Adilson Batista, que atualmente também se encontra em Belo Horizonte, treinando o América-MG.

Na ocasião, o Cruzeiro entrou em campo com Fábio; Jonathan (Apodi), Espinoza, Thiago Heleno e Marquinhos Paraná; Fabrício, Ramires, Charles (Henrique) e Wagner; Guilherme (Marcinho) e Marcelo Moreno. 

De acordo com o site do Cruzeiro, Fábio tem 793 jogos e é o jogador que mais vestiu a camisa do clube em toda a história, com possibilidade de alcançar os 800 jogos entre a 28ª e 30ª rodada do Brasileirão. Já Henrique contabiliza 448 partidas e é o décimo da lista. Com mais nove jogos, o volante alcança o ídolo Palhinha, que tem 459.

Nas duas partidas de 2008, o Cruzeiro saiu derrotado para o Boca, ambas por 2 a 1. Em La Bombonera, o volante Fabrício marcou para os mineiros. Na volta, em Belo Horizonte, Wagner foi o responsável por balançar as redes. Naquela ocasião, o Boca avançou até a semifinal, mas foi eliminado pelo Fluminense de Thiago Neves, que viria a ser vice-campeão. No encontro de 1994 entre as equipes, também pela Libertadores, o desfecho foi o contrário, com o Cruzeiro vencendo os dois jogos por 2 a 1.

De lá pra cá, Cruzeiro e Boca Juniors têm tentado erguer a Taça Libertadores, mas ficaram pelo caminho. Sem o título desde 1997, a Raposa chegou à final de 2009, mas caiu para o Estudiantes. O Boca foi campeão pela última vez em 2007, e parou no vice-campeonato para o Corinthians em 2011.

Futebol