PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Santos demite advogado por não conferir suspensão de Sánchez

José Carlos Peres faz investigação interna e pode demitir mais "culpados" no clube - Marco Galvão/Fotoarena/Estadão Conteúdo
José Carlos Peres faz investigação interna e pode demitir mais "culpados" no clube Imagem: Marco Galvão/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

29/08/2018 00h20

O Santos achou um culpado internamente pela escalação equivocada do volante Carlos Sánchez no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores da América, diante do Independiente, da Argentina, na semana passada. Isso porque o clube demitiu o advogado Felipe Nobrega, um dos responsáveis pelo registro de atletas no clube paulista há muitos anos.

A demissão causou divergências entre dirigentes do Santos. Para alguns, a diretoria escolheu um dos profissionais menos influente no departamento jurídico e de futebol do clube, apesar de Felipe já trabalhar na Vila Belmiro há mais de cinco anos. “É como se demitissem o motoboy neste caso”, disse um dirigente que prefere não se identificar.

A diretoria santista ainda avalia a demissão de Sergio Dimas, gerente de futebol. O dirigente já foi culpado por não inscrever o Santos na Libertadores no ano passado e até foi demitido pelo ex-presidente Modesto Roma.

Dimas foi recontratado pelo presidente José Carlos Peres. Ele estava  trabalhando no Red Bull Brasil. Assim que se iniciou a polêmica envolvendo a escalação de Sánchez, o dirigente que já considerado o queridinho dos jogadores entrou na mira de dirigentes e até conselheiros do clube paulista.

O técnico Cuca criticou a diretoria do Santos por cometer falhas em não conferir mais profundamente a expulsão do uruguaio na Copa Libertadores da América.

Para o treinador, a cúpula alvinegra precisa melhorar e muito profissionalmente. Ele considerou um erro infantil e que ajudou a provocar toda a confusão no jogo desta terça-feira, no Pacaembu. No final da partida, a torcida tentou invadir o campo e lançou rojões em direção ao gramado. 

“Eu posso ser mandado embora, mas vou falar. O Santos tem que melhorar muito profissionalmente, internamente, muito, não é pouca coisa não. Isso que ocorreu é um erro muito grave e muito grande, é ‘beabá’ do futebol, de situações. Isso resulta em tudo que aconteceu hoje. O torcedor já veio louco da vida para o jogo. A gente veio sem poder dormir. Precisamos melhorar e muito. Eu quero o bem do Santos”, afirmou Cuca.

O Santos empatou sem gols com Independiente, da Argentina, nesta terça-feira, no Pacaembu, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa Libertadores da América, e foi eliminado da competição continental. Apesar do empate sem gols na partida de ida, o time brasileiro iniciou o duelo perdendo por 3 a 0 após receber punição Conmebol por conta da escalação irregular do volante Carlos Sánchez.

A punição só foi anunciada na manhã desta terça-feira. Três horas antes do jogo, a Conmebol ainda acatou a um pedido do clube paulista e liberou a escalação de Sánchez. Em comunicado, a entidade justificou que a suspensão de uma partida que havia sido imposta ao jogador foi considerada como cumprida.

Futebol