PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jornais argentinos falam em caos no Pacaembu e "bagunça da Conmebol"

Torcedores do Santos chutam placa de metal na arquibancada no Pacaembu - REUTERS/Paulo Whitaker
Torcedores do Santos chutam placa de metal na arquibancada no Pacaembu Imagem: REUTERS/Paulo Whitaker

Do UOL, em São Paulo

29/08/2018 10h19

A confusão protagonizada pela torcida do Santos na noite da última terça-feira (28), no estádio do Pacaembu, em São Paulo, foi assunto na imprensa internacional. Os jornais argentinos, por exemplo, lamentaram a confusão e criticaram a Conmebol.

“A bagunça da Conmebol entrou em campo”, escreveu o La Nación em um texto que critica até o Independiente. “Ariel Holan disse que não gosta de vencer ‘no escritório’, mas o time sabia sobre o jogador punido antes de entrar em campo com o Santos e não foi capaz de alertar os paulistas. Apenas admitiu que o erro fosse consumado para ganhar nos tribunais. Tanta tolice teve que acabar explodindo em campo”.

“É difícil falar de futebol num contexto de tanto Caos”, escreveu o Olé, também da Argentina. “É difícil analisar em meio a tanto escândalo. Um novo frenesi mancha o futebol sul-americana em geral e a mãe de seus torneios (Conmebol) mais uma vez odiada por suas próprias decisões”.

O britânico “Daily Mail” também citou “caos” e as publicações da Espanha destacaram a polêmica de Rodrygo, que foi vendido ao Real Madrid, ao falar mal da Conmebol.

“Torcedores do Santos jogaram fogos e tentaram invadir o gramado, obrigando o juiz a encerrar a partida antes do término”, escreveu o “Daily Mail” em matéria que fala sobre o “caos” no Pacaembu.

A partida estava caminhando para o empate por 0 a 0, quando a torcida do Santos arremessou fogos de artifício na área do gramado do Pacaembu e tentou uma invasão. Por esse motivo, o árbitro preferiu encerrar a partida por alegar falta de segurança. Como o placar do primeiro jogo foi de 3 a 0 para o Independiente - por decisão da Conmebol -, o time brasileiro acabou eliminado da Libertadores.

A “BBC” também falou sobre a confusão, mas também exaltou que a decisão da Conmebol sobre a punição foi divulgada a menos de 12 horas antes do jogo.

O jornal espanhol “Marca” focou em Rodrygo, contratado pelo Real Madrid. O jogador brasileiro de 17 anos apoiou o protesto dos torcedores e fez duras críticas à Conmebol.

"O jogo terminou quando saiu o resultado do julgamento. Essa vergonha que saiu. Minha vontade era falar um monte de merda aqui, mas querer não é poder, tenho de ficar quieto", disse Rodrygo, que chegará no Real Madrid em julho de 2019.

Futebol