PUBLICIDADE
Topo

Futebol

No campo e no tribunal: os caminhos do Santos após a condenação

 Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Do UOL, em São Paulo

28/08/2018 15h01

A decisão da Conmebol desta terça-feira (28) deixou o duelo entre Santos e Independiente correndo o risco de não ser encerrado dentro de campo. O clube paulista promete recorrer a instâncias superiores da punição pela escalação irregular do meia Carlos Sánchez no jogo de ida.

Por causa da punição, o jogo de ida teve seu placar alterado de 0 a 0 para vitória por 3 a 0 para o Independiente. O jogo de volta acontecerá nesta terça-feira (28).

Com o duelo cercado por incertezas, o Santos terá alguns caminhos para percorrer para buscar a classificação para as quartas de final da Libertadores:

No campo

Pensando apenas no resultado dentro de campo, o Santos precisa de uma vitória por mais de três gols para se classificar. O placar faria com que o time paulista avançasse independentemente de qualquer decisão da justiça. Uma vitória por 3 a 0 levará o jogo para os pênaltis. 

Nos tribunais

A novela judicial ganhará novos elementos caso o Santos vença por um ou dois gols de diferença. Esses resultados fariam com que o time paulista se classificasse caso o placar de 0 a 0 do primeiro jogo tivesse sido mantido.

Para o Independiente ter todos os resultados ao seu lado, basta conseguir um empate com gols no Pacaembu ou uma vitória. Esses placares classificariam o time argentino mesmo se o jogo de ida continuasse em 0 a 0.

Os caminhos do Santos no tribunal

Antes mesmo de a decisão da Conmebol sair, o advogado Mário Bittencourt já havia dito que o Santos recorreria em caso de revés. Em nota oficial, o clube paulista reafirmou o desejo de reverter a situação jurídica.

Feita a primeira decisão, o Santos poderá recorrer ao Tribunal de Apelações da entidade dentro do prazo de sete dias corridos. Esse é o primeiro caminho que o time paulista poderá percorrer para reverter a decisão.

Caso o Tribunal de Apelações não reverta a decisão, o Santos poderá entrar com um pedido na Fifa. O caminho, no entanto, não é obrigatório, mas apenas protocolar.

Se nem na Fifa a decisão for revertida, o Santos terá mais uma tentativa para se sair vitorioso: a Corte Arbitral do Esporte (CAS). O tribunal internacional, com sede na Suíça, é o mesmo a que Paolo Guerrero recorreu para tentar reverter sua sentença por doping.

Mesmo que a decisão seja revertida no CAS, a paralisação da Libertadores é considerada improvável. Como mostrou o blog do Marcel Rizzo, a burocracia demoraria meses, e o provável seria uma compensação financeira ao clube brasileiro.

Futebol