PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fla foi vítima há dez anos e agora tem de "trocar de papel" para avançar

Os jogadores do Flamengo lamentam um dos gols do Cruzeiro na partida de ida - REUTERS/Pilar Olivares
Os jogadores do Flamengo lamentam um dos gols do Cruzeiro na partida de ida Imagem: REUTERS/Pilar Olivares

Enrico Bruno e Vinicius Castro

Do UOL, em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro

28/08/2018 04h00

Um dos maiores traumas recentes do Flamengo servirá de inspiração para que o atual time supere uma difícil missão na próxima quarta-feira (29). Vítima de uma eliminação marcante em 2008, o Rubro-negro terá de fazer o mesmo sobre o Cruzeiro dez anos depois para avançar na Copa Libertadores.

Os dois gols de Cabañas - Esqueda fez o outro - ajudaram o América-MEX a vencer o Flamengo por 3 a 0 em pleno Maracanã. O jogo, que marcou a despedida do técnico Joel Santana, foi realizado no dia 7 de maio de 2008. Depois da vitória carioca por 4 a 2, fora de casa, na partida de ida, o roteiro de festa não contava com a astúcia de um time mexicano comandado pelo paraguaio acima do peso.

Flamengo foi eliminado da Libertadores de 2008 pelo América-MEX - AFP - AFP
O Fla foi eliminado da Libertadores de 2008 pelo América-MEX: um vexame histórico
Imagem: AFP
Foi, sem dúvida, um dos maiores vexames da história centenária do Rubro-negro. Até os dias de hoje, as lembranças daquele jogo tiram do sério quem participou e irritam os torcedores. Agora, só uma virada dessa proporção será capaz de manter o Flamengo na Libertadores depois da derrota para o Cruzeiro por 2 a 0, em casa, no jogo de ida.

Existe a necessidade de triunfar por três gols de diferença para avançar. A repetição do placar a favor dos cariocas leva a decisão para os pênaltis. Vitória por dois gols de diferença - a partir de 3 a 1 - também dá a vaga ao Flamengo.

Reverter tal cenário é feito extremamente raro. Será necessário que o Flamengo encaixe o seu jogo da melhor forma possível, algo que só aconteceu em momentos esporádicos da temporada até aqui. O “jogo perfeito” ainda não foi realizado pelo Rubro-negro em 2018.

“Não existe isso de não poder sofrer gols, só que aí teremos que fazer três. O Cruzeiro tem uma grande equipe, mas buscaremos o resultado para levar aos pênaltis ou até a vaga direta. Os dois times se conhecem muito, são sempre jogos muito parelhos. Detalhes fazem a diferença e precisamos evitar os erros”, comentou o técnico Maurício Barbieri.

Para se ter uma ideia da dificuldade que o Flamengo encontrará em Belo Horizonte, o técnico Mano Menezes completou 169 jogos pelo Cruzeiro e se tornou o nono treinador com mais partidas pelo clube. De todos esses compromissos, em nenhum deles o time perdeu por três ou mais gols de diferença, seja dentro ou fora de casa. Somente em quatro ocasiões, foi derrotado por 3 a 1, placar que o eliminaria da Libertadores. Em outros nove compromissos, caiu por 2 a 0, resultado que levaria a decisão para os pênaltis.

Futebol