PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Conmebol acata pedido do Santos, e Sánchez vai jogar contra o Independiente

 Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Do UOL, em São Paulo (SP)

28/08/2018 16h23

Pouco mais de três horas para a partida entre Santos e Independiente, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, a Conmebol acatou nesta terça-feira (28) a um pedido do clube paulista e liberou a escalação do meia uruguaio Carlos Sánchez na partida.

As equipes irão se enfrentar às 19h30 desta terça, no Pacaembu, pelo jogo de volta pelos mata-matas do torneio.

Em comunicado, a entidade justificou que a suspensão de uma partida que havia sido imposta ao jogador foi considerada como cumprida. Desta forma, Sánchez terá condições legais de ser escalado pelo técnico Cuca.

"Nós percebemos que a punição ao clube e ao atleta ao mesmo tempo seria mais uma irregularidade cometida pela Conmebol e pela unidade disciplinar. A regra é clara no sentido em que, quando você pune o clube pela escalação irregular de um atleta, aquela punição que ele teoricamente tinha, é como se tivesse sido cumprida porque o clube teve uma punição maior", explicou o advogado Mário Bittencourt ao canal Fox Sports. 

Pela manhã, o Tribunal Disciplinar da Conmebol considerou irregular a escalação do uruguaio no jogo de ida contra o Independiente, no dia 21 de agosto, mudando o placar da partida para vitória por 3 a 0 dos argentinos - com bola rolando, em Avellaneda, as equipes empataram sem gols -, além de manter pendente a suspensão de um jogo a ser cumprida por Sánchez.

Com a punição, o Santos terá de vencer o Independiente por quatro gols de diferença no Pacaembu para seguir na Libertadores.

Seja qual for o resultado no campo nesta noite, o clube paulista pretende recorrer da punição por escalação irregular e cogita procurar outras instâncias da Justiça Desportiva, como a Corte Arbitral do Esporte.

A polêmica que levou o jogo para o tribunal aconteceu por causa de uma expulsão de Sánchez em 26 de novembro de 2015, na Copa Sul-Americana, quando ele atuava pelo River Plate. O jogador deixou o clube argentino e foi para o futebol mexicano, não cumprindo a suspensão automática em competições da Conmebol.

A defesa do Santos se baseava no sistema "Comet", da Conmebol, que apontava Sánchez como apto para a partida. Os advogados santistas usaram o caso do Lanús na temporada passada, quando a entidade deu ganho de causa ao clube após acusação de escalação irregular de Lautaro Germán Acosta.

Na ocasião, o "Comet" foi utilizado para mostrar que não havia problema na inclusão do atleta.

Outro ponto abordado foi o do River Plate. O Santos pediu para que a Conmebol concedesse no "caso Sánchez" a mesma decisão que tomou envolvendo o jogador Bruno Zuculini, do clube argentino.

Neste caso, a entidade máxima do futebol sul-americano alegou falta de denúncia de adversários e não puniu o clube argentino por escalação irregular. Zuculini terá apenas que cumprir suspensão ainda nesta edição.

"Não é uma vitória que a gente gostaria de ter, até porque nossa proposta ontem na audiência era justamente que se aplicasse a mesma regra que se aplicou ao River Plate. Dois pesos e duas medidas. Essa decisão de agora melhora um pouquinho a decisão que foi contrária a nós. Nós vamos recorrer, vamos continuar lutando por ela para reverter essa decisão mesmo após o jogo de hoje”, completou Bittencourt.

Futebol