PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Advogado vê 'espírito argentino' na Conmebol e ainda tenta liberar Sánchez

Armando Paiva/Divulgação
Imagem: Armando Paiva/Divulgação

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/08/2018 14h45

Contratado pelo Santos para fazer a defesa do clube no processo de escalação irregular de Carlos Sánchez na Copa Libertadores, o advogado Mário Bittencourt ainda tenta artifícios jurídicos para conseguir a liberação do meia uruguaio já para a partida desta terça-feira (28) contra o Independiente, às 19h30, no Pacaembu.

Em decisão tomada menos de 12 horas antes do jogo de volta das oitavas de final, o Tribunal Disciplinar da Conmebol considerou o Santos culpado, declarando-o derrotado no duelo de ida por 3 a 0 - no campo, deu empate por 0 a 0, na Argentina.

Em contato com o UOL Esporte, Bittencourt apontou incoerência no julgamento da entidade, que pelo mesmo motivo inocentou o River Plate da acusação de escalar irregularmente o meia Zuculini nesta Libertadores e suspeitou da coincidência de mais um clube argentino ser, de certa forma, beneficiado nos tribunais.

"Só posso supor, então, que o sistema da Conmebol foi 'alimentado' por alguma força espiritual, um 'espírito argentino' que modificou o sistema somente no caso do Santos", destacou o advogado.

A defesa do Santos entrou com uma petição pedindo a reconsideração da suspensão de Sánchez, com base no Código Disciplinar da Fifa (artigo 19.5) e no Artigo 3º do regulamento da Libertadores.

No entendimento do clube, tirar os pontos do jogo de ida já indicam que o meia foi punido, por isso ele teria condições legais de entrar em campo nesta terça, sem qualquer suspensão a ser cumprida.

"Buscaremos uma possível indenização na Justiça Comum se houver prejuízo ao Santos, que somente poderá ser avaliado após o jogo de hoje. Mas, mesmo com essa decisão absurda, acreditamos de verdade que o Santos vá vencer no campo por 4 a 0", completou Bittencourt, destacando o placar que o Peixe terá de fazer nesta noite diante do Independiente para não ser eliminado na Libertadores.

Paralelamente, a defesa ingressará com uma petição que requer os fundamentos da decisão que puniram o Alvinegro. Com base na resposta, os santistas irão entrar com recurso de apelação na Corte Arbitral da Conmebol.

Futebol