PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Santos treina no Pacaembu nesta segunda, e Gabigol já fala em repetir 1995

Gabigol lembrou virada histórica na semifinal do Brasileiro de 95, diante do Fluminense - @SantosFC/Twitter
Gabigol lembrou virada histórica na semifinal do Brasileiro de 95, diante do Fluminense Imagem: @SantosFC/Twitter

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

27/08/2018 13h18

O Santos realizará treinamento na noite desta segunda-feira, no Pacaembu, palco da decisão contra o Independiente-ARG, nesta terça-feira, às 19h30 (de Brasília), pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa Libertadores.

A atividade servirá para o técnico Cuca definir o time que encara os argentinos. O treinador optou por transferir o treinamento para o Pacaembu por conta do julgamento do “caso Sánchez”, que ocorre na tarde desta segunda-feira, no Paraguai.

Gabigol acredita que, independente da decisão da Conmebol, o Santos pode eliminar os argentinos. Conmebol destinado, entre outras coisas, para o registro de jogadores e arquivamento de súmulas. Se punido, o clube brasileiro deve ser declarado perdedor por 3 a 0 do duelo disputado na Argentina.

O camisa 10 do Santos lembrou a virada história em 1995, diante do Fluminense, no Pacaembu, pela semifinal do Campeonato Brasileiro, quando o alvinegro praiano se classificou para a decisão ao vencer por 5 a 2 e reverter a goleada sofrida por 4 a 1 no jogo de ida.

"Temos de respeitar sempre eles. Eles conquistaram vários resultados fora de casa. Eles têm uma grande equipe, mas vamos jogar em casa e com o apoio de nossa torcida. O Santos tem de ganhar, o time já teve várias viradas. A torcida tem cantado que em 95, eles não desistiram, e em 2018, não vamos desistir também", afirmou Gabigol.

"Temos jogado em vários locais. Claro que a nossa casa é a Vila Belmiro, o Santos tem um estádio. No Pacaembu, estamos nos acostumando, ainda vamos treinar lá hoje (nesta segunda-feira). O time tem de estar focado e os torcedores comparecerem. Vai ser um bom jogo", completou.

A polêmica do "caso Sánchez" se dá por causa de uma expulsão do uruguaio em 26 de novembro de 2015, na Copa Sul-Americana, quando ele atuava pelo River Plate. O jogador deixou o clube argentino e foi para o futebol mexicano, não cumprindo a suspensão automática em competições da Conmebol.

Nesta sexta-feira, o Santos enviou oficio a Conmebol cobrando que a entidade conceda ao clube no “caso Sánchez” a mesma decisão que tomou envolvendo o jogador Bruno Zuculini, do River Plate, da Argentina. Neste caso, a entidade máxima do futebol sul-americano alegou falta de denúncia de adversários e não puniu o clube argentino por escalação irregular.

Zuculini terá apenas que cumprir suspensão ainda nesta edição. O Santos cobra isonomia e que a Conmebol utilize o mesmo critério, suspendendo o uruguaio Carlos Sánchez no duelo contra o Independiente.

Futebol