PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Conmebol adia anúncio do veredicto de caso Sánchez para horas antes do jogo

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Marcel Rizzo

Do UOL, em São Paulo

27/08/2018 22h59

O julgamento do Santos no Tribunal de Disciplina da Conmebol começou nesta segunda-feira (27), mas a divulgação da decisão só acontecerá nesta terça-feira (28), dia do jogo de volta contra o Independiente pelas oitavas de final da Copa Libertadores. O time da Vila Belmiro é julgado pela escalação irregular do volante Carlos Sánchez.

Segundo apurou o UOL Esporte com pessoas ligadas à Conmebol, a expectativa agora é que a decisão seja divulgada pela manhã, horas antes do reencontro dos times, no Estádio do Pacaembu. O que não se tem informação ainda é se o veredicto já foi decidido e só não foi feito o anúncio ou se os membros do tribunal da Conmebol ainda não chegaram a uma conclusão sobre o caso.

Por enquanto, o Santos ainda não foi informado de que a decisão só sairá nesta terça e não sabe se precisa vencer por um ou quatro gols de diferença para se classificar: o placar original do jogo de ida foi 0 a 0, mas pode virar 3 a 0 para o time argentino caso o Tribunal julgue o Santos culpado pela irregularidade envolvendo Sánchez.

“Esperamos que o anúncio aconteça algumas horas antes do jogo. Não acredito que fique muito em cima [da partida]”, opinou o advogado Mário Bittencourt ao canal SporTV. Contratado para defender o Santos no caso, ele não descarta nem a possibilidade de o julgamento se estender até depois da partida. "É possível, não tem como antecipar [a celeridade do Tribunal]", diz.

O ‘caso Sánchez’ nasceu de uma expulsão do meio-campista em 26 de novembro de 2015, em partida da Copa Sul-Americana, quando ele ainda atuava pelo River Plate. Desde então o atleta trocou o time argentino pelo Monterrey (MEX) e daí foi a o Santos, não cumprindo a suspensão automática em competições da Conmebol.

Sánchez foi escalado contra o Independiente na última terça-feira (21), e o time argentino fez a denúncia junto à Conmebol. A presença do jogador, no entanto, foi liberada pelo delegado da partida, que não havia encontrado qualquer irregularidade por no sistema Comet.

O Santos cobra a Conmebol para que recebesse o mesmo tratamento dado pela entidade a uma situação semelhante, envolvendo Bruno Zuculini e o River Plate. Neste caso a Conmebol alegou falta de denúncia de adversários e por isso nem julgou o clube argentino pela escalação de jogador suspenso.

Futebol