PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jair destaca seu trabalho na recuperação de Gabigol e Copete

Técnico santista não liberou Copete e manteve Gabigol como titular mesmo com jejum - Marcello Zambrana/AGIF
Técnico santista não liberou Copete e manteve Gabigol como titular mesmo com jejum Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

25/04/2018 00h46

O técnico Jair Ventura acredita que a vitória do Santos por 2 a 0 diante do Estudiantes-ARG, nesta terça-feira (24), na Vila Belmiro, pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América, foi construída, principalmente, por um trabalho de bastidores com dois dos protagonistas da partida: os atacantes Jonathan Copete e Gabriel Barbosa. Veja os gols da partida.

O comandante santista afirmou que interveio diretamente para a recuperação dos jogadores, criticados pelos torcedores santista. No caso de Copete, chegou até mesmo a impedir a liberação do atleta, já sem oportunidades dentro do clube, para ser emprestado a outra equipe.

“Tem muitas coisas para exaltarmos, não só a vitória. Essa foi uma vitória do grupo, pois recuperamos o Copete, que vinha muito criticado pelas ultimas atuações. Trabalhamos para recuperá-lo e hoje deu um passe decisivo, participou ativamente mesmo estando muito tempo sem jogar. Ele aproveitou essa chance da melhor maneira possível. Estamos felizes, pois é um cara do bem, que trabalha demais. Temos convicções, se fizéssemos o que todos queriam já estaria emprestado”, afirmou.

Sem Sasha, Venturou surpreendeu ao optar por Copete. O normal era que Arthur Gomes fosse o escolhido, mas a revelação santista sofreu uma lesão no medial colateral do joelho contra o Bahia e não estava 100% fisicamente para o confronto.

Copete foi o responsável pela assistência pelo primeiro gol da equipe, marcado por Gabriel Barbosa. O jogador colombiano ainda acertou uma bola na trave no confronto.

Principal investimento do Santos na temporada, Gabigol foi outro que precisou superar a desconfiança para quebrar um jejum de oito partidas sem marcar.

Após um início arrebatador, com quatro gols em quatro jogos, Gabigol não marcou mais em 2018. Já são praticamente dois meses sem gol - a última vez havia sido no dia 25 de fevereiro, diante do Santo André, pelo Campeonato Paulista.

Durante a entrevista coletiva, o técnico citou por duas vezes que não “foi na onda” de críticos sobre o desempenho dos jogadores.

“Tivemos paciência, não fomos na onda. E na mesma onda estaria o Gabriel, pois todos queriam matar ele: ‘tira, barra...’, mas o treinador aqui é insistente e ele [Gabriel] nos deu a terceira vitória consecutiva na Libertadores”, afirmou.

Com a vitória, o Santos disparou na liderança do Grupo 6 da competição continental. O clube paulista agora soma nove pontos e é seguido por Estudiantes e Real Garcilaso, com quatro pontos, e Nacional, do Uruguai, com três. Vale lembrar que peruanos e uruguaios se enfrentam nesta quarta-feira. Se empatarem, o alvinegro praiano já garante classificação para as oitavas de final.

Futebol