PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio emite nota e pede apoio à CBF em relação à final da Libertadores

Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, que pede ajuda à CBF para jogo de volta - Lucas Uebel/Grêmio
Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, que pede ajuda à CBF para jogo de volta Imagem: Lucas Uebel/Grêmio

Do UOL, em Porto Alegre

24/11/2017 12h09

Na manhã desta sexta-feira, o Grêmio emitiu nota oficial confirmando a ida à Conmebol para protestar contra os fatos ocorridos no jogo de ida da final da Libertadores, na última quarta-feira. Além disso, protocolou pedido pelo cancelamento do cartão amarelo apresentado a Kannemann e pediu auxílio à CBF. 

A reportagem do UOL Esporte entrou em contato com o presidente Romildo Bolzan Júnior na noite de quinta-feira e ele informou os pedidos do Grêmio junto à entidade máxima do futebol do continente. Entre outros assuntos, o Tricolor que acesso às gravações de áudio e vídeo do árbitro de vídeo da decisão. Para comprovar a necessidade de uso dele nos pênaltis reclamados e não marcados no jogo contra o Lanús. 

Além disso, o Grêmio quer garantia a 'lisura' do jogo de volta, marcado para próxima quarta, na Argentina. Por ter vencido a ida por 1 a 0, o time brasileiro joga por qualquer empate. Derrota por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis. 

Confira a nota oficial do Grêmio: 

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense comunica o ingresso de impugnação no Tribunal de Disciplina da Confederação Sul-Americana de Futebol em relação aos fatos ocorridos na primeira partida da final da Conmebol Libertadores Bridgestone, realizada no dia 22 de novembro de 2017.

Comunica ainda o agendamento de reunião em Asunción, no Paraguai, na qual se fará presente o presidente do Clube, Romildo Bolzan, bem como o envio de pedido de providências para que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) adote medidas para garantir o equilíbrio da competição e o fair play.

Futebol