PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Boca pode ficar sem torcida visitante em possível duelo com Corinthians

Se passar pelo Cerro Porteño, Boca de Tevez enfrentará o vencedor de Corinthians x Nacional - EITAN ABRAMOVICH/AFP
Se passar pelo Cerro Porteño, Boca de Tevez enfrentará o vencedor de Corinthians x Nacional Imagem: EITAN ABRAMOVICH/AFP

Do UOL, em São Paulo

29/04/2016 16h18

O Boca Juniors pode ser punido pela Conmebol com a proibição do comparecimento da torcida argentina como visitante caso o time confirme a classificação às quartas de final da Copa Libertadores.

Na última quinta-feira (28), torcedores argentinos furtaram cidadãos, saquearam comércios e protagonizaram violência generalizada em Assunção, no Paraguai, antes da vitória por 2 a 1 contra o Cerro Porteño. Como resultado da confusão, 237 torcedores acabaram presos - entre eles, os principais líderes da torcida organizada La 12.

O vencedor do duelo entre Boca x Cerro enfrentará quem avançar do confronto entre Corinthians x Nacional-URU. Sendo assim, caso o time argentino se classifique e seja punido pela Conmebol e a equipe brasileira também garanta a vaga nas quartas, os torcedores do Boca não poderão comparecer ao jogo na Arena em Itaquera.

"Antes do jogo entre Cerro e Boca aconteceu confusão entre torcidas. Eram quatro grupos de aproximadamente 60 pessoas. Saíram dos ônibus, assaltaram várias pessoas e os comércios. Roubaram bebidas alcoólicas e quebraram carros. As penas por esses delitos podem chegar a cinco anos", relatou Aldo Cantero, fiscal de Segurança e Convivência do Paraguai.

Segundo ele, a Polícia realizou buscas nos ônibus dos torcedores do Boca Juniors e encontrou armas brancas, quase 75 gramas de maconha e dois gramas de cocaína, além de várias garrafas de bebidas alcoólicas.

De acordo com Cantero, a intenção da Polícia de Assunção é indiciar os dois líderes de La 12 e mais quatro torcedores argentinos por atos de vandalismo. Os demais 231 seriam liberados.

A torcida organizada se defendeu das acusações, negou os atos de vandalismo e disse que não foi responsável pela confusão generalizada em Assunção. "Ou vamos todos juntos ou não vai ninguém", disse um porta-voz de La 12 aos meios de comunicação paraguaios, em referência aos seis torcedores que seriam indiciados.

Futebol