PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Para voltar, Guerrero comeu 6 vezes por dia e teve inspiração de Mourinho

Guerrero perdeu três quilos com internação por conta de dengue - Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Guerrero perdeu três quilos com internação por conta de dengue Imagem: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

05/05/2015 06h00

A admiração de Tite pela literatura é antiga, bem como o apreço por dar livros a seus jogadores. Na passagem anterior pelo Corinthians, o treinador presenteou comandados com a biografia de Michael Jordan e chegou a citar a história de José Mourinho como referência. A história se repetiu na última semana e foi citada por Paolo Guerrero. 

Nesta terça-feira, o centroavante peruano completa um mês fora dos gramados. Dentro do período, Guerrero contraiu dengue, foi hospitalizado e passou por um processo importante de recuperação física para jogar novamente na quarta, contra o Guaraní-PAR, em Assunção. Uma de suas inspirações veio do treinador e do livro que recebeu ao lado de alguns outros membros do elenco selecionados por Tite. A publicação chama-se "Os campeões" e é assinada por Mike Carson - o treinador corintiano assina o prefácio da versão para o Brasil. 

"É um relato de sete ou oito técnicos ingleses. Do Mourinho, do (Arséne) Wenger, do  (Alex) Ferguson, do treinador do Liverpool (Brendan Rodgers) e aprovado pela Federação Inglesa. Me solicitaram para fazer a apresentação dele aqui. A editora me mandou alguns livros e dei a eles", explicou Tite. "Eu tinha dado o primeiro (exemplar) ao Romero em uma palestra ao elenco em Lins. Disse que o campeão é pela persistência. Tem bastante jogador e (você) acaba não dando a oportunidade. Dei ao Guerrero, ao Fábio Santos, ao Uendel", contou. 

Guerrero até destacou o livro recebido por Tite, mas, justiça seja feita, cuidar da mente dele foi o menos importante no processo de recuperação da dengue. Quando hospitalizado, ele já pensava em voltar aos treinamentos o quanto antes. Na verdade, é o corpo do peruano que exigiu acompanhamento próximo de nutricionista, médicos, preparadores físicos e fisioterapeutas. 

"Esse trabalho é essencial, porque ele ficou 10 dias parado, teve um quadro febril altíssimo. Entre o que é essencial, a alimentação rica em todos os substratos, em carboidrato, em proteína. Tem que comer bem, comer de tudo, fazer uma boa ingestão. E se dedicar na sala de musculação. Ele sempre chega mais cedo", relata o preparador Fábio Mahseredjian ao UOL Esporte.  

Com uma média de seis refeições diárias controladas e liberado para comer o máximo possível, Guerrero também teve a atenção de fisioterapeutas em seus exercícios. "Fizemos um trabalho de controle de carga. De monitoramento de volume e intensidade. Quando o jogador esta´debilitado em função do quadro de dengue, podem surgir mialgias e lesões musculares", contou Bruno Mazziotti, fisioterapeuta corintiano, à reportagem. 

A forma como o centroavante foi cuidado por todos recebeu cumprimentos públicos de Tite à força-tarefa. "Um agradecimento a todo o estafe do Corinthians. A Joaquim (Grava), Júlio (Stancati), Ivan (Grava) em relação ao acompanhamento do Guerrero no hospital de forma integral. Enquanto alguns tinham folga, estavam Bruno, Caio e Paulo (fisioterapeutas) para ajudar na recuperação. O departamento físico da mesma forma. É o trabalho invisível que os torcedores não acompanham", citou. 

Não é à toa todo o esforço do Corinthians por Guerrero. Com ele em campo, a equipe de Tite não perdeu na temporada e tem aproveitamento de 85,7% dos pontos disputados. Sem o peruano, ele número desce a 66,6%. Vagner Love, contratado para ser o substituto do camisa 9, ainda não possui o ritmo de competição ideal e não tem a mesma eficácia em disputas de bola pelo alto. Nesse fundamento, em especial, Paolo é fundamental para a equipe.

Na segunda-feira, Tite confirmou que o peruano talvez não suporte 90 minutos no Paraguai por ainda não ter seu nível de força totalmente recuperado. Os corintianos vão apostar no apetite dele que realmente importa: são 10 gols marcados nos jogos oficiais de 2015. 

Futebol