PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Melhor começo de ano põe Pato entre maiores artilheiros do Brasil

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

26/02/2015 06h00

Depois de um 2014 irregular, Alexandre Pato começou 2015 se firmando como um dos principais jogadores do São Paulo. Artilheiro no Paulistão, o camisa 11 começou a Libertadores em grande estilo, marcando duas vezes – uma delas em um belo chute de primeira – na vitória sobre o Danubio nesta quarta. Com oito gols em sete jogos – seis como titular – o atacante consolida o melhor começo de temporada de sua carreira e aparece entre os principais artilheiros do Brasil na temporada.

Pelo posto de maior goleador do país em 2015 até o momento, Pato enfrenta três principais concorrentes: Kiros, do Porto-PE, Rafinha, do Vera Cruz-PE e Robert, do Sampaio Correa-MA. Os três têm os mesmos oito gols do atacante são-paulino.

Kiros tem, na verdade, 11 gols no Pernambucano. Há, porém, um detalhe: três deles foram marcados em 2014 - a primeira fase da competição começou em dezembro. Rafinha, que disputa o mesmo campeonato, tem o mesmo problema: marcou nove vezes, mas uma delas no ano passado. Assim, ambos ficam com a mesma marca de Pato tendo jogado bem mais jogos.

O começo de temporada de Pato é, com bastante folga, o melhor de sua carreira. A marca anterior, obtida em 2010 pelo Milan-ITA foi de quatro gols nas primeiras sete partidas. Respeitável, mas nada comparável a atual. Aquele ano viria a ser seu melhor com a camisa do clube italiano: 16 gols em 33 jogos.

Jogando no futebol brasileiro, o atacante nunca teve números como os de 2015. Em apenas sete jogos, já marcou dois terços dos 12 gols que precisou de 44 partidas para fazer em 2014. Mesmo que a boa fase acabe, a marca do ano passado deve ser facilmente superada.

Um joga Paulistão e Libertadores, o outro Campeonato Espanhol e Liga dos Campeões. Mesmo assim, é curioso lembrar que, nos primeiros sete jogos desta temporada, Lionel Messi marcou cinco gols – foi menos arrasador do que Pato.Cristiano Ronaldo, por sua vez, marcou os mesmos oito do camisa 11 são-paulino.

Com média de 1,14 gol por partida, se jogasse os mesmos 42 jogos de 2014, Pato terminaria este ano com 48 gols – marca digna de Messi e C. Ronaldo, e suficiente para garantir o “prêmio” de maior artilheiro do Brasil na temporada.

As chances de que um atacante mantenha uma média superior a um gol por partida são extremamente pequenas. O diagnóstico mais realista é de que Pato vive sua melhor fase desde que Milan e finalmente se firmou como titular no ataque do São Paulo.

Nesta quarta, após a goleada, Muricy Ramalho garantiu que o atacante segue entre os onze. “Devo repetir o time no fim de semana, eles precisam jogar. Principalmente o Pato, que sofreu muito com esse entra e sai, ele precisa jogar mais. Agora é hora dele jogar”. Por enquanto, em 2015, Pato jogando é praticamente garantia de bola na rede.

Futebol